quarta-feira, 17 de julho de 2013

Colégio

Cena 1

Marco- Você checou tudo?

- Chequei, eu já te disse isso.

Marco-Não, você não ta entendendo, se algo der errado...

- Não vai dar nada errado.

Marco- Eu sei, eu sei, mas é que...

- Cara, relaxa!

Marco- Ok, eu só to preocupado, só isso.

- É eu to vendo, mas não tem com o que se preocupar, vai ser mamão com açúcar.

Marco- Então por que você fica olhando tanto pra trás?

- Sei lá... Eu não to olhando não.

Marco- Ta sim! Cara... Cadê ele?

- Já disse pra relaxar, ele já deve ta chegando.

Marco- Você sabe que isso é o meu sustento né?

Um homem engravatado e misterioso aparece.

Homem engravatado - Opa, beleza?

Marco - Fala cara, tu ta com tudo certo né?

- Que saco! Já falei pra relaxar!

Homem engravatado- Meu não tem erro, depois que todo mundo for embora e a escola fechar a gente entra e...

Um aluno gordo e desengonçado passa por eles, todos se calam.

Aluno- Boa noite.

Todos: Opa, boa noite!

O aluno se vai.

Marco para Zé- Já falei pra parar de olhar pra trás, depois eu que to nervoso.

Homem misterioso- Olha, o esquema é o seguinte, façam tudo rápido, se algo der errado a gente vaza, beleza?

Marco e Zé- Beleza!

Marco- A chave do cofre fica na direção, do lado da porta, ta destrancada, só não deixa ninguém te ver.

Homem misterioso- Beleza.

Homem misterioso some dentro da escola

- Ta frio pra caramba hoje meu.

Marco- Ta e eu não to com um bom pressentimento.

Homem misterioso volta

Marco- O que houve?

Homem misterioso- Não deu, tem muita gente lá.

- E agora?

Marco- Da pra parar de olhar?

- Me faz parar!

Homem misterioso- Chega vocês dois! Zé, eu vou te dar a arma e vou entrar, você fica com o Marco até ele fechar a escola, eu vou tentar pegar essa chave e me esconder em algum banheiro.

- Beleza.

O homem misterioso tira uma arma da cintura e coloca dentro da mochila do Zé discretamente, logo em seguida entra na escola.
Zé acende um cigarro.

- Você quer um? Ajuda a acalmar.

Marco- Não cara, valeu.

Marco coça a nuca

Marco- Larguei já tem dois anos.

- Agora é esperar...

Marco- Agora é esperar...

- Você vai entrar pro grupo, depois dessa noite todo mundo vai te aprovar, tu vai poder largar essa bosta de emprego.

Marco- Não fala assim Zé.

Marco fica cabisbaixo olhando para o rádio de comunicação.

Marco- Meu pai era segurança, ele que me ensinou tudo o que eu sei, estaria desapontado comigo agora...

Um homem musculoso, tatuado e de cabelo raspado se aproxima de Zé e Marco.

Marco- Você ta fumando maconha? Você é louco?

Tatuado- Só uns pega meu, não enche, me ajuda a acalmar os nervos.

- E esses alunos, quando vão embora hein Marco?

Marco- Daqui a pouco... Para de olhar pra trás porra!

Tatuado- Calma mano, relaxa.

- Viu? Pelo menos eu fumo cigarro normal.

Marco- É melhor vocês sumirem um pouco, pode sujar pro meu lado, alguém pode desconfiar...

Tatuado- Eu não vou a lugar nenhum!

- Eu também não, até parece andar por ai com a arma do Celso, ele me mata!

Tatuado- Relaxa menininha, você quer mesmo ser aceito? Regra número um, pare de ser medroso!

Marco- É que é o sustento da minha família...

Tatuado- Tua família vai viver no bem bom a partir de agora, pensa nisso. Você não quer dar um ensino de qualidade pra sua garotinha?

Marco- Claro meu, é o que eu mais quero!

- Então tem que se acalmar.

Marco- É vocês tem razão, eu to preocupado atoa...

- É meu, é sério, vai ser muito mole, vai por mim...

Marco- Ta, ta...

Tatuado- Que tal você acelerar esse processo hein guardinha? Ta muita demora...

Um garoto magricela e alto se aproxima do grupo.

Garoto- Opa!

Marco- Luiz? O que você ta fazendo aqui?

Luiz- Ué, achou mesmo que eu ia perder isso?

Marco- Meu não era pro Luiz ta aqui, droga! Vocês não estão cumprindo o acordo.

- Ta tudo certo, para de causar.

Marco- Não! Não era esse o trato, o Luiz tava fora disso, vocês prometeram!

Tatuado- Sabe essa cicatriz que eu tenho nas costas? Então, foi o Celso... Você não vai querer ganhar uma igual, melhor parar, vai por mim...

Homem baixinho e gorducho aparece comendo um lanche.

Baixinho- E aí Luiz, beleza?

Marco- Porra Denis, tu sabia? Meu não era pro Luiz ta no meio.

- Aff... Você não se acalma, não é?

Luiz- Tu é muito egoísta meu.

Marco- Não, vocês não estão vendo o meu lado, eu...

Ouve-se um tiro, pessoas começam a correr e a gritar.

Continua...

Jéssica Curto

Nenhum comentário:

Postar um comentário