quarta-feira, 18 de março de 2015

Encontro no Busão

Moço, o que você pensa?

Detrás dessa face inexpressiva,

escondendo-se por esses olhos vazios...

Moço, o que você sente?

Dentre as batidas de seu coração,

oculta-se um misto de sentimentos...

Moço, o que você almeja?

Quais desejos ardentes

tencionam seus passos?

Moço, o que você possui?

Será que os bens que carregas

não o torna dependente?

Moço, o que você sabe?

Que segredo suas sinapses,

memorizam sem jamais olvidar?

Eu não percebo sinais de resposta,

pois o acesso não me é permitido.

Eu sinto apenas um mundo,

porém o toque não me é permitido.

O encontro é breve, o instante é preciso,

E eu te vejo partir, te deixo partir,

pois no fundo, no fundo mesmo,

nada disso realmente importa.

Rabiscá-lo-ei da memória

afinal isso é, exclusivamente,

Um encontro no busão...

Lucas de Figueiredo

Nenhum comentário:

Postar um comentário