quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Mãos Dadas

O momento é (como sempre) de se unir. Será possível dessa vez?


Mais um ano chega ao fim. Copa, eleições, escândalos em Brasília, tudo ficou para trás. Passou rápido, parece ter sido ontem que quase todo o país pedia Paulo Henrique Ganso na seleção. E mais da metade dele elegeu Dilma Rousseff presidente da república. Fazer uma espécie de balanço dos meses passados não é fácil, até porque ainda temos dezembro. Por isso, vamos nos ater ao fato principal.
O país voltou a crescer, recuperando-se como poucos da depressão gerada em Wall Street. Sem dúvida, isso tranquilizou milhares de brasileiros que temiam o amanhã e agora têm um emprego. Foi essencial também para a vitória do governo e sua consequente continuidade.
O momento é bom, porém é sempre necessário uma dose de cautela. A guerra cambial entre EUA e China não nos convém, assim como um possível rombo no orçamento de 2011. Os investimentos em infraestrutura precisarão aumentar e para tanto, espera-se que o presidente Lula não tenha exagerado nos gastos nesse ano eleitoral.
Além disso, é preciso implantar reformas há muito adiadas como a agrária, a tributária e a da saúde, por exemplo. Somente através delas o crescimento econômico pode gerar uma distribuição de renda mais justa. Mas controlemos nossa euforia: vale lembrar que o mercado global é imprevisível e seria irresponsável, como geralmente se diz, “dar um passo maior que a perna”.
O futuro pode ser bom para nós: copa, olimpíadas, pré-sal... Mas sonhar demais é um erro, prendamo-nos ao presente para planejar um futuro sem tirar os pés do chão. Não é (e nunca foi) hora de sufocarmos uns aos outros, e sim de estarmos unidos: um povo mais ciente de seus direitos e deveres, uma imprensa menos imparcial e um governo mais transparente. Como disse o grande poeta Carlos Drummond de Andrade: “O presente é tão grande, não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas”.

Rafael Cardoso
20 de novembro de 2010


Acompanhá-lo nesta imensidão que é a vida será um imenso prazer.

J.H.C


2 comentários:

  1. Lucas de Figueiredo27 de novembro de 2010 21:01

    Rafa... Drummond é um poeta incrível... E vejo que você tem a mesma qualidade que ele tem: entender o mundo de uma maneira ampla e tentar viver da melhor maneira possível, melhorando o mundo no que se consegue melhorar o mesmo...^^

    ResponderExcluir
  2. o nosso Rafa é o novo Drummond, guarde minhas palavras! XD

    Beijos Luh

    ResponderExcluir