quinta-feira, 5 de julho de 2012

Outra amanhã

A poeira da rua
Está cobrindo meus olhos
Realmente não sei o que acontece
Todos estão olhando e ninguém diz
A névoa gelada esta descendo
Sobre todas as casas
Tento gritar mas ninguém escuta
Espero que você saiba
Que posso não ter outro amanhã
Por isso eu corro
Pra estar perto de você
Apenas estou tentando
Não fazer você chorar
Poder sentir quando te tocar
Todos estão olhando
Mas sou eu que não entendo
Sobre meus pés
Não existe mais o mesmo chão
Espero que você saiba
Que posso não ter outro amanhã
Por isso eu corro
Pra estar perto de você
Apenas estou tentando
Não fazer você chorar
Poderemos concertar tudo
Que esteve todo esse tempo errado?
Não agora.

Leonardo Ragacini

Nenhum comentário:

Postar um comentário