domingo, 26 de agosto de 2012

Damned thing

Malditas vertentes
Daquelas estradas turvas
Quanto pior esta pior fica
As malditas coisas
Que ainda não fiquei espalhando ao vento
Por respeito à coisa nenhuma
Às vezes é melhor esquecer
Pra não ficar cansado de lembrar
As punições daquilo
Que ficou torturado lá no passado
As águas que não voltam
A torneira que despeja
Toda a água barrenta
Aqueles corrosivos
Sentimentos
Ainda devastados e conscientes
Certas coisas não têm volta
Certos rancores não têm cura
Certas merdas não têm jeito
Assim que ficou vai ficar
Assim que vai me atormenta
Essa maldita coisa que não disse
Quando ti vi parti.

Leonardo Ragacini


Nenhum comentário:

Postar um comentário