segunda-feira, 24 de novembro de 2014

A partir de hoje...

Eu fiquei quinze minutos pensando ''eu deveria escrever, mas preciso dormir'' e então enquanto eu rolava o cursor para baixo vendo coisas repetidas no facebook me dei conta de que precisava dormir e queria escrever e não estava fazendo nenhum dos dois.
Já tem semanas que estou querendo escrever e sempre deixo pra depois, sempre tem algo pra fazer, sempre tem um deixa pra outra hora, e na verdade as coisas não andam nada fáceis no meu interior, eu ando com muito tempo e pouca vontade, e quando eu tiver pouco tempo terei vontade e isto é um absurdo.
Eu deveria aproveitar este momento da minha vida em que estou apenas trabalhando, e que tenho um serviço razoavelmente fácil (diferente do que a maioria pensa, ele não é só sentar e ler o dia inteiro, é mais complexo do que parece), mas no fim, eu apenas ando dormindo e dormindo quero ficar a vida inteira, entrei em uma depressão tão angustiante que a vontade de acabar com tudo é as vezes, um fator quase que determinante, e se não fosse pela pessoa que eu mais amo, se eu não soubesse que ela sofreria, eu provavelmente já o teria feito.
A questão é que ninguém lê este blog, quatro anos aqui escrevendo e vi pouquíssimos comentários, poucas pessoas inscritas para o seu tempo de existência, quando o texto é grande, todos perdem o interesse... E é por isso que estou me aproveitando disto e estou escrevendo, porque preciso de alguma forma liberar esta angustia toda que esta no meu peito, e escrever, nem que seja para o nada, tudo o que estou sentindo.
Eu perdi todos os meus grandes amigos nesse curto período de um mês, pessoas que jamais pensei que perderia, pessoas que me imaginava envelhecendo lado ao lado, eu perdi, e percebo o quão a vida é frágil e que talvez o erro esteja em mim, mas eu simplesmente não consigo ver.
Escrever manualmente não é uma opção mais hoje, não com toda essa tecnologia e com o som do teclado que eu amo tanto, e é por isso que não faço de você um diário em folhas, e estou publicando no blog, apenas porque acho que um dia, se eu vier a melhorar desta crise, eu possa olhar para trás e perceber que evolui, eu sempre tento ver a evolução... Às vezes ela não existe.
Ando com tantas coisas presas no peito e no coração, que vou fazer de você o meu ouvinte precioso, que irá ler as minhas magoas e irá de certa forma me ajudar, com o seu silencio e a sua sabedoria eu me curarei... Ou não, mas o importante é que a partir de agora eu lhe contarei tudo o que está acontecendo na minha vida.

Maria Amélia.

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Até a próxima...

eu te amo
e sempre penso em você
você não me ama
e não pensa em mim
uma verdadeira pena
mas é como diz
é preciso chegar no fundo do poço
pegar tudo de tudo
pra então poder se reerguer
e agora eu não quero mais...
acho que precisava
com certeza precisava disso
fazer tudo o que estava ao meu alcance
e então acordar
levantar
e seguir em frente
e é o que farei
com a alma lavada
e com o coração leve
pela primeira vez em anos
em quatro anos
me sinto livre
pra fazer o que bem entender
pela primeira vez
estou me sentindo realmente disposta
a recomeçar
a conhecer
a me aventurar
estou me sentindo tão bem...
tão feliz...
tão...
livre!
Não deu,
eu sei,
não te culpo,
mas é hora de prosseguir
então sejamos felizes
porque a vida é curta
e eu quero aproveitar a minha
a cada instante!!

Beijos, beijos meu querido
até a próxima esquina da vida;

Maria Amélia