segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Amor: artigo de luxo

Trilha sonora: 


Por Vanessa Silva


Transformar toda a dor, de um amor perdido, em poesia é uma dádiva. É contribuir com a literatura, mais que isso! Com a alma. Talvez, muitos não compreendam uma alma apaixonada, mas o amor está aqui.

De alguma forma a inspiração é despertada. A alma não chora mais. Apenas se contenta de ter vivido um amor. Que seja esse amor imperfeito, bandido e profano. Apenas ame! É um luxo possuir um bem mesmo que ele não seja durável.

Os calculistas que me desculpem! Mas a frieza não está com nada.

Amar ou comprar uma bicicleta? Faça os dois! Um não tem a mesma sensação que o outro e com muita criatividade há quem os una.

Tempo desperdiçado só acontece quando o amor não é transformado em um belo poema. Há quem nunca amou e prefira passar a vida se gabando por isso. O que eu acredito que seja uma bobagem. Vida sem poesia, amor sem vida, poesia sem amor?

O sentimento tem que ser experimentado. Sonho reinventado. Lágrimas usadas. Adeuses temporários. O sofrimento é opcional. O amor existe.

3 comentários:

  1. Olá JESSICA

    estive ausente, mas voltei e dou de cara com este texto sobre a necessidade de amar-se e inclusive transformar os amores perdidos em poema!

    Sutileza formidável.

    Achei que qualquer amor, mesmo aqueles que encontramos nas mais baratas lojas do varejo da vida a 1,99, são muito preciosos e sempre deixam um odor inconfundível no ar das nossas almas.Acho que é odor que eles deixam impregnado em nós é o do jasmin.

    Só imprensão.

    Uma vez ouvi uma frase ontologica das contradições humanas e a pessoa dizia que o amor não era tudo!

    Como assim? O amor era parte de que?

    O amor é sempre tudo, um todo em nós.

    É que algumas situações o fatiamos como se fosse um bolo de aniversário.

    Enfim, encontrei-me nesta sua postagem e você sabe que os homens em geral, acham que romantismo é frescura.

    Se é assim vivo um mundo de frescuras!

    E que bom você não desperdiçou mais este amor ,pois o transformou num belíssimo poema, numa ode ao congraçamento,num desafio ao pessimismo,numa grande lição que veio comprovar uma tese muito simples: O amor é tudo sim!

    Nem que seja para ser transformado num poema.

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Paulo,

      Fico feliz com a sua volta no blog, pegou logo de cara um poema muito bonito mesmo, e adorei a sua forma de poetizar dentro deste texto, mas devo dizer que infelizmente desta vez não fui a criadora de tal obra magnífica, e sim uma amiga (como você bem sabe, muitos escrevem para este humilde blog) e foi, desta vez, Vanessa Silva a criadora de tal obra prima!!
      Mas garanto com absoluta certeza de que ela ficará imensamente feliz com tal comentário!!
      Obrigada mais uma vez, e bem vindo de volta!! =P

      Um beijo paulista pra você!! =]

      Excluir
  2. Muito obrigada! :) Abraços! E um beijo paulista também...

    ResponderExcluir