sábado, 13 de julho de 2013

Tempestade

Às vezes precisamos compreender
Que grandes amizades foram perdidas 
Durante as turbulentas tempestades,
e que não há mais corpo para se recuperar
Quando o mar já está novamente sereno.

É nesse momento dinâmico e único,
que sentimos a imensa tristeza
de não termos, no breve pretérito,
 nos afogado na imensidão azul escura.

Há um mundo inteiro desabando,
assim que pisamos conscientemente em terra firme
Mas a única coisa que sentes que já desmoronou
Foi seu coração. 

Não há mais amigo para escutar ou 
te buscar em algum lugar nos escombros... 

E quando finalmente consegue se erguer,
Pela força que só a esperança ingênua dá,
 já não pode ver a própria alma diante de tudo que já viveu.

N. Bonani


Nenhum comentário:

Postar um comentário