quarta-feira, 10 de julho de 2013

Paradigma das mudanças

Porque agora o corpo estremece,
mas não é por falta de abraços que ele adoece,
e sim pelas pressões da vida...
tão rápida e tão querida
(Que o valor da sabedoria, ensinou a cultivar).

Porque agora a cabeça enlouquece,
mas não é por aquela constante prece,
e sim pelo ceticismo que me acompanha 
em qualquer lugar dessa cidade estranha.

Porque agora o coração pulsa mais forte,
 não esperando do destino a Sorte,
mas sim pela corrida para o dia aproveitar.

Porque a insônia agora é frequente,
não pelo amor que em mim é ausente,
mas sim pelas dúvidas que vivo a carregar
do futuro incerto que não suporto esperar.

As sensações são as mesmas,
os motivos não são. 
A única coisa que permanece inalterável
é a nostalgia daquela velha canção.

N. Bonani


Nenhum comentário:

Postar um comentário