sexta-feira, 19 de julho de 2013

O Corpo & A Alma

Para mim é tudo muito estranho, afinal, não conheço absolutamente nada sobre esta vida e este planeta.
Tudo se torna novo e diferente e estou agora pensando em como levantar desta cama tão confortável sem me sentir culpada.
O fato é que esta vida não parece muito animada, primeiro que se levanta cedo demais para se ter tempo de se arrumar e conseguir sair no horário sem se preocupar em ter de correr com todas as preparações do serviço.
Aliás está ai outra coisa curiosa, o dia se resume em colocar ordem na escola, levar os alunos doentes para a enfermaria, estar disponível sempre que algum professor venha a necessitar e quando se pensar em sentar, já é a hora do almoço.
Doce hora do almoço, há! Uma grande piada, isto sim. Uma comida requentada dentro de um pote nunca foi muito prazerosa, no entanto, pelo menos há de ser gostosa e de fato o é, comida da mãe deste ser em que me apossei, pelo menos algo de bom, mas não pense que é duradouro, uma hora passa mais rápido do que o imaginado e quando se vê, volta-se tudo outra vez.
Isso todos os dias, se segunda a sexta, até as quatro da tarde, depois vai-se para casa e descansa-se um pouco para o dia seguinte, não esquecendo de que é preciso fazer a leitura diária para que o corpo não fique com peso na consciência.
Aos finais de semana não pense que há grande diversão, mas é mais tranquilo com passeios calmos em museus ou em shoppings, o corpo conquistou bons amigos, o que faz toda a diferença para renovar as energias para a semana seguinte.
No fim aprende-se todo dia um pouco mais, provavelmente porque no meio da rotina ela simplesmente não exista.

Jéssica Curto

Nenhum comentário:

Postar um comentário