terça-feira, 9 de julho de 2013

Nublado

Um dia cinza e levianamente sem fim...
Que me encanta com a maneira
De ter o bom senso de amanhecer assim.

Obrigada querido Dia
por resplandecer da cor que eu queria;
Porque só com uma paisagem de pálida cor
eu posso ser capaz de esquecer este estúpido amor.

O tic-tac do relógio
E o som de sua chuva lá fora
Fazem o ritmo dá canção
Que vem sem palavras e vai embora.

Mas um dia, meu bom Dia,
o meu dia será laranja como seu fim.
Mas o que pode lembrar essa cor,
além de flores no jardim...?


Desculpe-me querido Dia,
mas hoje não desejo você;
mesmo cinza pálido e belo,
prefiro em minha cama
mais um pouco "morrer"...

N. Bonani


Nenhum comentário:

Postar um comentário