sábado, 6 de julho de 2013

Não mais a mesma

Dos últimos versos não me recordo,
Nem da gramática fria...
-Não mais a mesma-
Dentro de mim: apenas uma sala
(Que permanece sempre vazia...)

Não tenho paciência contigo,
Não tenho vontade de sair
Recorde-me apenas:
Como se faz para sorrir?

Nunca quis tanto estar longe de mim,
Nunca desejei tanto te esquecer;
A dor sublime dos meus autoflagelos não conforta mais
Qual era a sensação de viver? 

Amor? Paixão? Alegria?
Palavras que não fazem mais sentido.
Sinônimos de lembranças vagas
De grandes momentos com 
um  velho am... igo.

N. Bonani


Nenhum comentário:

Postar um comentário