segunda-feira, 1 de julho de 2013

Egoísta

Você me completa do exato modo que elas nunca completaram. Você é exatamente aquilo que esperava numa noite fria. Você sabe exatamente onde estão as chaves e o caminho. Você é inteligente suficiente por nós dois.
E não existe um momento em que não posso ter medo de perder toda essa perfeição, mas então eu acordo e percebo que é ilusão.
Logo todas as minhas defesas estão em alerta e não existe espaço pras melhores partes. Eu estou apenas fechando a concha e você é minha pérola perdida nas sombras. Eu sou aquela liga de aço dura e fria sem uma visão especial. Eu me comporto como criança que quebra seu brinquedo favorito de modo egoísta pra chamar a atenção e então entramos numa guerra. Eu choro e fico sangrando entre letras de músicas sem uma voz. E vivo nas ilusões de volta as minhas memórias e fantasias de quando éramos tão simples.
Quando foi que me tornei tão pobre em era um bom ombro amigo? Quando foi que me tornei tão sem esperança? Quando foi que parei de olhar pra você pra ver só a mim mesmo?

Leonardo Ragacini


Nenhum comentário:

Postar um comentário