sexta-feira, 26 de abril de 2013

Deitado pela noite


Me sinto sozinho aqui deitado pela noite
Lutando contra as minhas palavras
Aumentando o som das minhas lágrimas
Porque eu tenho que ser tão fraco
Onde foi parar toda minha força
Onde está o meu escudo dos escudos
A pior de todas as lanças
Vejo as sombras que se mexem
E nenhuma delas pode me distrair
Os sons da chuva continuam
E nunca estive tão perto do chão
Para poder sentir...
Eu não vou deixar isso acontecer
Nunca vai chegar perto de me machucar
É hora de dar uma virada nisso
Está na hora de eu achar um jeito
De continuar respirando longe disso
Serei o meu próprio bálsamo das feridas
Serei o meu próprio soldado em combate
Eu não vou deixar isso me machucar
Não vou deixar que isso aconteça
Não vou te dar mais do que já dei
Não te oferecer mais do que já ofereci
Eu não posso te dar meu coração
Quando ele já foi partido tanto
Eu não te perdoaria
Se me deixasse cair no chão
Se me deixasse atingir o solo
Soltando suas mãos da minha
Não quero sentir isso
Isso fica na minha cabeça latente
Tudo parece uma mentira
Tudo parece algo que inventei
Quando ninguém estava olhando
Entre a caneta e o papel
Olhos bem fechados.

Leonardo Ragacini

Nenhum comentário:

Postar um comentário