segunda-feira, 11 de março de 2013

SAUDADE DA TARDE


Veja a tarde: como é densa!
Eu tinha me esquecido como o dia é grande.
As hora antes do pôr-do-Sol
preenchem a vida de sentido.
Ai quem dera tê-las
no conforto da minha casa,
e assim eu viveria mais em menos tempo.

Mas é preciso a labuta
embora a tarde seja grande e bela.
Por um tempo, terei de viver sem ela.
Pobre tarde de março...
Em breve morre na lembrança
do trabalhador
trancado no escritório,
por mais que seja grande e bela
a densa tarde,
por mais que, ao ser vista da janela,
já dê saudade.

Tchau, tarde.

Rafael Cardoso


Nenhum comentário:

Postar um comentário