domingo, 6 de janeiro de 2013

Talvez eu tenha motivos

 
Como você pode me cobrar
Quando você tem contas a pagar?
Como pode querer tirar
Todas as suas culpas
E as jogar em mim?
Eu sei exatamente quem é você
E não vou voltar pra mentira
Olhe para trás
Não preciso de razões
Elas são tão emocionais
Que chegam a me enjoar
Então não se faça de inocente
Como ''judas sem moedas''
Seu jogo de duas caras
Pesos e medidas trocados
Podem funcionar com eles
Mas meus olhos nunca foram cegos
Eu nunca joguei as cegas
Se você por as cartas na mesa
Talvez eu tenha motivos
Para continuar falando
Eu sei exatamente quem é você
E não vou voltar pra mentira
Olhe de volta e para trás
Não preciso de razões
Elas são tão emocionais
Que chegam a me enjoar
Então não se faça de inocente
Como ''judas sem moedas''
Não! Eu não sou seu brinquedo
Nem um pedaço de você
Eu não tenho mais que meia
Dúzia de genes ruins
Algumas lembranças
E uma cartela de verdades
Você não pode me enganar
Seu teatro não me toca
Suas palavras são geladas
Eu não sou seu!
Eu não sou uma coisa que pode modelar
Nem mesmo uma forma de aliviar
Esse mundo de fantasias
Não! De jeito nenhum!
Eu me recuso a me curvar
Cavando no concreto
Pode sentir seus olhos se Quebrando?
Você pode sentir isso Agora?
Você não pode me Enganar
Não se faça de Inocente
Como ''judas sem moedas''
Seu jogo de duas caras
Não funciona em mim

Leonardo Ragacini

Nenhum comentário:

Postar um comentário