terça-feira, 13 de novembro de 2012

Influências sociológicas

Lendo Bauman, percebo que:
É preciso escolher. A sociedade de consumidores dá a liberdade de escolha, no entanto nos obriga a escolher (o que comprar, o que vamos ser, a quem vamos servir). E o tempo entre a vontade de ter algo, conseguir e a vontade de se desfazer dele é cada vez menor. Fala-se em sustentabilidade, mas o consumo (e o seu poder sobre a vida das pessoas) só aumenta. O prazer está em descartar, em seguir para o próximo nível. A sociedade é pensada para o consumismo (o consumo exagerado). O Estado, hoje, é apenas o braço coercitivo que visa garantir a soberania dessa instituição (se é que pode ser chamada assim), que é o mercado de consumo. E em nome dele, e não do público, é que se faz obras e melhorias (caso lhe convenham) na sociedade. O shopping metrô Tucuruvi, que está onde deveria estar um terminal de ônibus, é um exemplo que condensa tudo o que esse breve texto diz.

Rafael Cardoso

Nenhum comentário:

Postar um comentário