quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Não tente

Por favor, porque não morre
Tentando consertar a merda
Cobrindo de rosas a sepultura do passado
Por favor, não me diga o que devo ou não sentir
Depois de todos esses anos
Os restos das mendigadas invenções
Estou farto de ser agradecido
Por ser parte de sua substância e nada muda isso
Agora já estou crescido
Pra sentir falta
Daquilo que não me faz falta
Assunto encerrado
Não finja que é fácil
Jogar as coisas pra debaixo do tapete
Por favor, suma e não volte
Não tente pedir desculpas
Essas palavras de respeito foram conflituosas
Mas nunca me disseram nada
Porque nunca foi nada.

Leonardo Ragacini


Nenhum comentário:

Postar um comentário