quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

O último Adeus

Você não sabia como cuidar de mim. Você não precisava de mim. Você nunca precisou. Ou será que você sabia fingir muito bem? Quem sabe? Só você.
Você parecia me fazer a pessoa mais feliz do mundo. Você me tratava de um jeito que me fazia a pessoa mais realizada do universo. Eu queria você comigo sempre. Queria que os ponteiros do relógio girassem mais rápido para chegar a hora de te ver, de falar com você. Queria que as horas nas quais eu passava conversando contigo se tornassem eternas e inacabáveis. Eu só queria você... Só você.
E agora tudo acabou. Tudo dissipou-se numa velocidade surpreendente. Um dia, ao meu lado. No outro, longe de mim. Parecia-me algo estranho, eu não sabia onde me segurar para não cair. Tudo ruíra como uma construção mal-feita. Era, talvez, um conto de fadas sem um final feliz. Era, talvez, uma história que parecia a mais linda de todas, que inevitavelmente terminaria com um "felizes para sempre", mas, num passe de mágica, tudo se acabou.
Talvez eu tenha sido tolo de acreditar que isso daria certo. Mas sabe, eu vivi todos os momentos da forma mais intensa possível. Sorria, ria, me divertia sempre que falava com você, mas também chorava quando brigávamos. Era tudo muito intenso, tudo muito forte, tudo muito... Real. Tão real que deixou de ser um conto de fadas. O céu deixou de ser um azul-claro feliz para se tornar uma única nuvem enorme e escura, anunciando a tempestade que viria logo a seguir.

Os pingos de chuva chegaram, os trovões anunciaram os raios, que vieram sem dó. Não consigo ver mais ninguém... Nem você.

Pietro T.

2 comentários:

  1. Um dia essa dor passará, espero que passe... Novas pessoas virão, talvez não da mesma forma, não com a mesma intensidade...
    Lembranças ficarão e tudo um dia terá ordem e se colocará de volta em seu lugar!
    Boa sorte com isso!

    ResponderExcluir