segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Entender

Entender ultrapassa qualquer entendimento. Meio confuso, não acha? Talvez as ideias acerca do assunto se transmitem na simples capacidade e/ou possibilidade de entender. E aí já entramos no entendimento. Por exemplo: Como entender o amor... Será que só entende quem ama?
Entender o amor é como tentar alcançar uma estrela. A esperança - ou uma certa satisfação - de aproximar o dedo indicador do polegar, em frente aos olhos semicerrados, na janela de casa, parece nos convencer da pequenez das estrelas. Mas não. As estrelas são muito maiores, grandes demais para que possamos interpretá-las de uma maneira tão simples e tão falha de esforço.
Entender ultrapassa níveis. Não possui patamares, bases sólidas de compreensão para estabelecer um padrão de entendimento. Cada um entende da maneira que lhe é conveniente, e é aí que reside toda a diferença. Particularidades são, como o próprio nome diz, particulares. Ou seja, entrar em consenso sobre particularidades é como se todos tentassem entender da mesma forma. Inviável demais! Afinal, entender ultrapassa qualquer entendimento.

Pietro T.

Nenhum comentário:

Postar um comentário