segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Acróstico IV

Sinto algo, não proponho
Odio de mim pelo pavor medonho
Não revelo não falo de meu sonho
Hora há que deito na mesa, e o ponho
Olhando de esguelha para o Tonho

Rafael Cardoso


Nenhum comentário:

Postar um comentário