terça-feira, 14 de setembro de 2010

Quero Escrever

Eu nunca estive tão ávido por escrever. Sentimento esquisito... Não sei bem o quê, mas quero. É tudo. Não, não é. Eis o fato: por quê? Será que realmente tenho algo a dizer? Seria uma necessidade físico-psicológica? Quem pode saber?
Escrevi! E tive um tema – o ato de escrever!
Isso que é metalinguagem.


Rafael Cardoso.

Compartilhar uma parte deste blog, que é minha vida existencial daquilo que mais amo no mundo, com um ser tão maravilhoso como você, foi uma das melhores coisas que fiz na vida.

Mas mais maravilhoso ainda, foi conhecê-lo ao fundo, meu querido, conhecê-lo ao fundo.

J.H.C

Ausência

E tudo vaga na imensidão do tempo...
Não mais te vejo solitária
Como na ausência de sonhos
Que te deplorava
Meses atrás.

Sinto muito se não pude estar com você
Nesse ínterim não estive
Nem em mim mesmo
Estive sonhando acordado
Olhando o céu de infinitas estrelas
Refletindo a mansidão do espaço
E um ser tão tempestuoso (eu)

Como poderia ajudá-la a cantar a vida
Diante daquele muro assombroso recheado
Da negritude da noite e da solidão?

Mas agora nossos sonhos batem asas
Seguros, firmes e fortes
Num caminho incerto
Mas momentaneamente
Feliz

Rafael Cardoso

Mais um dos tantos poemas deste ser espectral esplendoroso, que é o nosso querido Rafael.

Obrigada, meu amigo!!

J.H.C

sábado, 11 de setembro de 2010

Case-se!!

Case-se com aquele lhe fará dar boas gargalhadas, mais do que qualquer outro, este lhe fará feliz a vida inteira.

Case-se com aquele que é o mais galanteador e bonito, e será a mais chifruda.

Case-se com aquele CDF que todos esnobam e zoam, e será a mais rica.

Case-se com o mais rico, e será a mais solitária.

Case-se com o mais trabalhador e será a mais valorizada.

Case-se com o mais vagabundo e vire empregada.

Case-se com o mais doce, e será a mais paparicada.

Case-se com o mais rude, e será a mais vitimada.

Case-se com o mais homem de todos os homens... E o que é um homem mais que todos os homens?

É aquele que lhe entenderá e lhe respeitará, acima de qualquer coisa, você será a mais especial para ele.

Então, conserve-se, e valorize-se, acima de tudo.

E no final, ame e seja amada, pois isso é o mais importante.

O resto... ?? O resto, minhas caras, é história.

J.H.C


quinta-feira, 9 de setembro de 2010

O Fim De Uma Era

Foi o meu sonho mais maravilhoso. Me lembro quando o vi pela primeira vez, foi algo tão mágico que vi mais dois dias seguidos, e sempre que ia alugar VHS pegava ele. Isso durou um mês mais ou menos, até eu decorar todas as falas e minha mãe resolver que ia comprar o filme pra mim.
Foi tão maravilhoso, e tão horrível pra minha mãe ao mesmo tempo. Ela viu a filha feliz e realizada, mas não agüentava mais ficar vendo o filme todos os dias rsrsrsrs.
Foi divertido.
E então, veio o segundo, e eu já insisti pra ir na estréia, queria ver a sequência, um ano tinha se passado, e eu ficava brava porque ele tinha 11 pra 12 anos e eu ainda estava nos meus 9 pra 10, mas não importava, eu era apaixonada por aquele menino de cabelos negros e olhos verde esmeraldas que na verdade eram azul piscina. Todos os meus amiguinhos me zoavam dizendo que aquilo era ridículo, mas eu não ligava, tudo o que me importava era ver o meu amado, me divertir com a sua história, sabia que somente aqueles de mentes abertas conseguiriam entender de fato o que se passava no momento.
Hoje, são fãs de Restart, hoje, percebo o quão estava certa em gostar dele.
E minha família aos poucos começou a gostar, viram a mágica existencial na profundidade da história.
Mesmo tendo algumas críticas, os olhos sempre se grudavam com qualquer aspiração de trailer, e nunca, jamais vou me esquecer da sensação de esconder o choro quando achei que ele morreria na Câmara, ao ser atingido pelo dente maléfico, e mais ainda, do alívio que tive quando o vi ficar bem.
Engolir as histórias foi um papel difícil, acho que não estava preparada para aquele tipo de livro, e apesar de não ter completado o meu dever, a promessa se profetizará.
E quando olho para trás, e penso: Caramba parece que foi ontem.
Não consigo me segurar, pensar que tudo está acabando, tudo está no final, o meu sonho desmoronando, a beleza do mundo “perfeito” se desfazendo...
Mas sempre estará no meu coração, com toda a força da lembrança, dos bons momentos e dos bons amigos que me trouxe essa história maravilhosa que um dia foi...
Harry Potter.

J.H.C



segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Pense e Raciocine

Quando eu fiz esse blog foi na intenção de tentar mostrar para as pessoas coisas realmente boas, idéias realmente uteis, de diversão, mas também de sabedoria.

Essa mania de vlogs tem o seu lado bom, pelo menos as pessoas estão colocando para fora o que realmente acham, e isso é bom.

Mesmo alguns vlogs sendo muito ruins.

Enfim, um em especial, eu achei MUITO BOM!!

Ele é diferente de tudo o que eu já vi, e é por isso que eu vou deixar o vídeo mais interessante que eu achei, e o link do rapaz para que vocês possam acessar e se divertir.

E vou deixar também outro link de um vlog de uma menina, que é MUITO inteligente, e que eu simplesmente ADOREI as coisas que ela disse.

Não são tão conhecidos quanto PC Siqueira ou Felipe Neto, mas são tão bons quanto.

E não, eu não estou ganhando nada com isso, na verdade eles nem se quer sabem da minha existência.

Enfim, se você é uma pessoa que não tem nada pra fazer, mas que deseja ter boas coisas para pensar está ai algo inteligente para cobrir o seu tempo.


J.H.C


Links: Gustavo Horn - http://www.youtube.com/user/GuguHorn

Gabriela Fadel - http://www.youtube.com/user/gabbiesayshi


domingo, 5 de setembro de 2010

The Clothes And People

Roupas, Roupas, Roupas e Pessoas.


Qual a sua idéia de shopping? Normalmente, se você for uma pessoa que mora no interior, vai achar que shopping é uma grande loja aonde vende tudo. Mas se você for uma pessoa que mora na capital e tem vários shoppings para escolher ir, verá que na realidade todos são absolutamente iguais.

Se você vai em um shopping, as únicas coisas que você encontra são:

- Roupas

- Sapatos

- Comida

- E PESSOAS!!!

Milhares delas, é inacreditável como as pessoas adoram ficar andando em círculos, comendo e gastando seu duro dinheirinho em bobagens inutilizáveis.

Acho que a humanidade tem essa mania boba de querer gastar o dinheiro suado aonde não necessita, e gosta de fazê-lo com dificuldade.

Por que as pessoas gostam de ficar olhando aquelas roupas nas vitrines dos shoppings, e se imaginando nelas? Vocês sabem que nunca vão usar nada parecido, primeiro porque é muito caro, segundo porque nunca combina com qualquer lugar que você vá. Se for muito brega, as pessoas vão achar que você está mal vestido, se for muito chique, as pessoas vão achar que você é muito metido.

Afinal, ninguém nunca está satisfeito com nada, sempre tem que ser perfeito, e quando parece perfeito, tem algo que está falho, e quando está falho, tem de estar perfeito, é um ciclo vicioso horrendo.

Sem contar quando você realmente necessita ir pro shopping, porque é o único lugar que tem um filme legal passando no momento, ou o único lugar mais perto de comprar um livro ou qualquer coisa do tipo, mas você leva meia hora só procurando uma vaga pra estacionar o seu carro, depois tem que enfrentar uma multidão, sair empurrando todo mundo pra conseguir chegar aonde deseja.

São Paulo especificamente, não possui um lugar sossegado, aonde você não tenha estresse, filas ou qualquer coisa do tipo.

Existe fila para tudo quanto é lugar ou coisa.

Fila no banco pra pagar contas.

Fila no mercado pra pagar as compras.

Fila no açougue, pra comprar carne.

Fila na padaria pra comprar pão.

Fila na loteria pra tentar ganhar dinheiro, PAGANDO por números.

Fila no transito pra chegar aonde deseja.

É fila que não acaba mais, e na maioria das vezes é pra gastar dinheiro.


E pode reparar na maioria das vezes as pessoas estão se aglomerando para VER roupas ou coisas compráveis.

Por que ninguém pensa em gastar com coisas realmente importantes, tipo, comida que preste, não porcaria tipo MC DONALD'S ou roupas bonitas e duráveis, não qualquer vestidinho de pano rasgado que custa 250,00 R$ x.X''.

Outro dia eu vi uma calça simplesmente HORROROSA com rasgos e parecendo ser toda velha e esfarrapada, custando 199,99 na PROMOÇÃO! o.O

É muito mais fácil comprar uma calça boa, pagar bem menos do que isso sem estar na promoção e ferrar de vez com ela, não é?

Sinceramente.

Humanidade podre!

J.H.C


sábado, 4 de setembro de 2010

O Menino Sorridente

E neste mar alagado de gente
Vejo pressa nos olhares
Que saudade do povo sorridente
Que eu via noutros mares
Massas inteiras almejam se destacar visualmente
Mas como, se ninguém ao menos observa
O menino sorridente
Concreto, pessoas e consumo:
O mundo está frio
Apesar do aquecimento global
Quando o humano faz um resumo
De seu grande mal
Tenta encher seu vazio
- A vida está no final.

Rafael Cardoso

Este é um poema que um amigo querido fez não para mim, mas para o mundo.

Obrigada Rafael, por permitir que eu transmita para o mundo essa beleza extraordinária.

J.H.C


sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Escrever e Colocar Para Fora

O ato de escrever, para mim um dom maravilhoso, no entanto eu mesma não acredito que sei escrever tão bem assim.
Escrever é minha diversão, meu passa tempo, minha terapia e minha cura, no papel junto da caneta à mão, expresso todos os meus sentimentos momentâneos, porém permanentes quando fixados em uma folha.
Pensamentos às vezes que, se não fosse pela escrita, me esqueceria rapidamente.
Não acho que escrevo bem, mas acho que é o melhor que faço, pelo menos, é o que mais gosto de fazer. Me da o sentimento de liberdade total, não na ação de mostrar para alguém, pois ai corremos o risco de termos críticas, mas na hora propriamente dita que estou colocando letra por letra no papel, se não gostar ou me arrepender depois, é muito fácil, basta amassar, rasgar ou queimar e tudo acaba na lata de lixo.
Não vou tentar aqui colocar desta vez palavras difíceis ou bonitas para enriquecer o texto, na verdade minha intenção desta vez é apenas escrever e só, se ficará agradável aos olhos depois, isso já não sei dizer.
O fato é que a maioria das pessoas, pelo menos todas as que conheço, são 100% boas em alguma coisa, e eu ainda não encontrei no que realmente sou boa.
Não basta escrever e gostar do artefato se os outros não gostarem, a vida de um escritor tende a ser muito curta e obscura quando seu maior sonho, que é escrever, é completamente ignorado ou não agrada a uma boa população.
Eu, como escritora, quero levar minhas idéias à diante, para serem discutidas, nem que seja negativamente, pois para uma pessoa ser negativa quanto a algo, ela no mínimo tem de saber do que fala.
Eu longe dos sonhos de algumas pessoas, nunca quero ser ensinada ou estudada obrigatoriamente em escolas se um dia chegar a ser importante, porque acho que nada deve ser feito obrigatoriamente, tudo o que é feito forçadamente não sai bem feito, e principalmente a escrita e a leitura não deveriam ser algo forçado.
A escrita é uma arte e a leitura uma paixão, ambas tem de ser realizadas com vontade e sabedoria.
Os professores gostam muito de forçar seus alunos as coisas, e cobram do que ensinaram nas provas, mas isto é um ato ridículo e muito burro.
A pessoa que precisar ir bem na prova irá decorar a matéria, no entanto passado um tempo já terá esquecido completamente tudo.
O aluno que não liga para a nota, sem dúvida nem se preocupará em decorar.
E é ai que está o erro, ensinando e fazendo com que se entenda as devidas coisas, ficará guardado para todo o sempre.
A avaliação estudantil deveria ser bem diferente, primeiramente porque ensina-se como se todos fossem iguais e conseguissem assimilar as idéias igualmente, e o erro já começa por ai.
Devia-se ensinar o contexto para todos sim, é claro, contudo o correto seria ter um ensino particular, desenvolvendo cada pessoa ao seu modo.
As provas seriam execradas, nada forçado. Então, quando o aluno se sentisse preparado marcaria uma “prova” com o professor da devida matéria, mas seria algo individual para evitar o constrangimento, e sem dúvida mais um bate papo do que uma cobrança propriamente dita.
Lógico que o aluno teria um prazo para fazer esta “prova”, mas acho que seria bem mais adequado algo mais rilex.
Não consigo entender por que o ser humano transformou a própria vida em um inferno.
É tensão para todos os lados, as pressões só tendem a crescer e crescer, as pessoas trabalham para viver melhor, e não vivem porque tem de trabalhar, quando notam deixaram uma fortuna para outras pessoas aproveitarem a vida, mas não o farão, pois tem de continuar multiplicando cada vez mais a fortuna. Isso quando não ocorre da pessoa acabar com toda a herança por não saber administrar.
E, é claro, quando a pessoa trabalha uma vida inteira para ter bens e uma boa vida e não atinge o objetivo, será frustrada pela eternidade, é o que normalmente ocorre com a população.
Engraçado que, aqueles que largaram mão dos sacrifícios pelo dinheiro são taxados de vagabundos.
E não são? Afinal, não fazem nada da vida.
Acredito que a vida tem de ser aproveitada como um todo, com sabedoria e intelectualidade, mas também com sossego e paz.
É bom para o físico, mental e espiritual que sejamos inteligentes, o ato de pensar nos faz evoluir, mas não é preciso nos matarmos para isto.
A vida seria tão mais bela se não houvesse diferenças entre os povos, cada um com seu modo e suas diferenças, não estou dizendo que não pode existir pobre e rico, depende do seu ponto de vista.
Para algumas pessoas seria suficiente um carro simples e de bom uso, para outras um belo e cheio de artefatos, e por que não satisfazer à ambos?
Isso não significa que o “pobre” seria pobre, ele teria o que desejasse, o que é feito e eu não aprovo é a inveja.
Por exemplo, quando se é criança: Você quer muito uma mochila azul que viu na loja. Sua mãe, bondosa e generosa a compra para você.
Logicamente que você ficará feliz, afinal, tem o que deseja.
Um tempo depois um amiguinho aparece com uma mochila azul com bordados amarelos. Você acha a dele bem melhor e começa a desprezar a sua mesmo sendo nova e a que você escolheu.
Por que isso? Afinal, você não tem o que deseja? Por que achar que as coisas dos outros é melhor? Isso não faz sentido.
Eu acho que já está mais do que na hora das pessoas pararem de invejarem umas às outras, de quererem coisas só porque outras pessoas às têm, de até quererem se assemelhar fisicamente umas com as outras.
A sociedade obriga porque a população aceita, se as pessoas começarem a se negar diante estes atos, a sociedade por completa mudará, afinal, quem faz a sociedade são as pessoas, logo, as pessoas mudando, consequentemente a sociedade também mudará.
Já está mais do que na hora da população considerar o que faz e pensar antes de fazê-lo.
Tudo gera conseqüências, boas ou ruins, depende de suas escolhas e seus atos.

J.H.C

Aula

Os olhos fixos na professora, ela falava, falava e minha atenção era máxima, até começar a cá escrever.
E direi porque minha atenção se dissipou por completo, fazendo com que sua voz ao fundo virasse um leve zumbido.
A culpa foi dela, só dela.
Mania que os professores tem de, enquanto explicam andam nas direções das pontas da lousa, e assim ela fez, indo na direção direita, e ficando em frente à um bom amigo, gordo e gigante, e foi ai que minha atenção se dissipou para a careca do amigo da frente. Lindo cabelo sedoso e comprido, mas com um rompimento catastrófico no meio da cabeça. Dava-se para ver os fios nascendo e se dividindo em direção ao resto da cabeça.
Queria conseguir entender do porque aquilo ocorria. Está certo que ele tinha pouco volume, apesar de tê-lo compridamente, atingindo o começo dos ombros, no entanto, porque aquela mísera parte de sua cabeçorra insistia em aparecer, mostrando poucos cabelos existentes?
E não adianta dizer-me que foi pelo fato do cabelo ser comprido, pois ele já o teve bem curto, e aquela parte continua a se mostrar, a estragar a beleza que poderia ser aquela cabeleira brilhante, sedosa e completamente lisa.
Mas o universo tem de ter algo podre, estragando completamente a perfeição possível existencial.
Uma pessoa rica e bonita, na sua maioria faz faltar-lhe o cérebro, mas uma pessoa igualmente pobre e feia o possui. Por que estas desgraças?
O fato é que nada, absolutamente nada pode ser perfeito, por mais que assim o desejamos, acho que isto não passa de uma prova para todos, para podermos aceitar os outros pelo que são, e principalmente, nos aceitarmos como somos.
Afinal, não basta ter tudo, tem-se que saber usá-lo e principalmente, julgar as coisas com real honestidade e justiça.

J.H.C

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Eterno Para Todo O Sempre

Era uma vez, um homem e uma mulher que se amavam loucamente.

Ela era uma dama da alta sociedade, e ele um homem pobre, mas muito, muito honesto e sincero.

O amor dos dois era algo impossível diante a sociedade em que viviam, mas ambos não ligavam para estes pequenos detalhes, ambos apenas queriam ser felizes e curtir todo esse amor.

A felicidade era muito clara quando seus corpos e suas almas se juntavam, tudo parecia ter mais vida, tudo parecia ser mais belo, mais... Real.

Apesar de eles terem de se encontrar as escondidas para não serem subjugados diante de uma farsa, parecia que quanto mais proibido e mais perigoso ficasse, mais a paixão crescia, e quanto maior fosse os riscos, maior seria a aventura, valeria a pena cada segundo.

Um dia, seco de saudades de ver sua bela amada, ele pegou um ônibus e foi em direção a cidade em que ela morava.

Era uma casa imensamente grande, com um jardim descomunalmente repleta de orquideas na entrada, os olhos dele brilhavam diante do que via, ela, ali, refletida na janela da sala, tocando piano calmamente.

Sem notá-lo diante de si, ela continua a tocar com a alma, o coração pensando nele, o corpo se arrepiando a cada lembrança de cada toque...

O sorriso dele era imensamente grande, a mulher de sua vida estava ali, ele a queria em seus braços sem esperar nem mais um instante.

Foi se aproximando do imenso portão que o separava dela, os olhos fixos e brilhosos, o sorriso bobo e apaixonado nos lábios, o corpo caloroso, mas ao mesmo tempo tenso.

A atenção dela se desviou por um breve instante, e seus olhos se depararam com aquele ser angelical a sua frente, o sorriso apareceu repentino diante os lábios.

Um estrondo ao fundo. Tudo passou muito rápido diante os olhos dela, de repente tudo se apagou, aquele brilho todo foi emerso por um grito, mas não vinha dele, era dela.

Ele caiu, os joelhos tocando o chão numa explosão de dor e sentimentos confusos. O que estava acontecendo?

Uma dor repentina explodia pelo peito dela, passando para cada nervo e deixando seu corpo congelado, estático.

Um homem ao fundo apontava uma arma na direção de seu amado, seus olhos negros se explodiam em fúria e raiva.

Ele só conseguia vê-la a sua frente, o sorriso meio confuso, mas permanente nos lábios, a observando, querendo que ela se aproximasse, não entendendo o sentido dela estar ali, parada, olhando-o daquele jeito, mas era tão linda mesmo assim...

-E...u... Te... a-amo!

Ele soltou em um breve sussurro, e seu corpo se amoleceu por completo, não obedecendo a seus comandos, queria correr até ela, beijar-lhe os lábios e tê-la por mais um segundo em seus braços, era só o que desejava.

Os olhos se fecharam repentinos, e como se um pedaço dela tivesse sido arrancado naquele instante, se sentiu completamente amolecida e caiu em frente ao piano, a cabeça batendo a quina e deixando ao fundo um breve som, fino e melancólico.

O homem com a espingarda já não sabia o que se passava ao certo, sabia que aquele ser em quem acabara de atirar era o amante de sua noiva, mas não conseguia entender porque ela caíra.

Ele nunca entenderia, estava além de seus conhecimentos entender o amor puro e verdadeiro, o eterno ao qual tantos desejam, mas poucos possuem.

Mas uma coisa ele não teria com que se preocupar mais, eles estariam unidos e felizes, seja lá onde estivessem, porque nem a mais obscura e horrenda alma pode separar dois seres puros, feitos um para o outro.
Ele, sem dúvida poderia viver só e feliz, com todo o dinheiro do mundo, pois era apenas nisso que ele pensava status e poder.

Uma mulher se aproxima, usava um longo vestido vermelho vivo, as mãos tocando o ombro levemente dele, o sorriso carismático nos lábios rubros.

Aquela seria sua paga, viver ao lado daquele ser falso, igualmente ele, egoísta e obsceno.

Temos escolhas para fazer diante toda uma vida, basta escolhermos para onde seguirmos, e teremos sem sombra de dúvida nosso pagamento conforme o valor que cobramos para os outros.

J.H.C