terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Reflexão natalina: A vida passa. Então devemos correr?

Véspera de Natal. As ruas imundas e pichadas brilham, não só através dos pisca-piscas das casas como também com os faróis dos carros. Nosso homem está na Marginal Tietê, não é preciso maiores comentários.
Chega em casa e encontra sua mulher preparando a ceia às pressas, fez quase tudo sozinha. Seus dois filhos correm ao seu encontro, ele os abraça e vai correndo tomar banho. Ou melhor, ia. Seu relógio mostra que são dez horas e as crianças têm fome de presentes.
De modo que camisa social para o homem é roupa para toda ocasião. Além disso, o dia foi cheio, o mês mais ainda e até meia-noite ele quer dormir se os fogos deixarem.
Ceia devorada e os sinos prestes a serem tocados. Hora dos embrulhos. O menino sorri diferente. Não é todo dia que vê o pai, “este dia deve ser realmente especial”, pensa ele com apenas 6 anos. Ele ganha um autorama bem veloz. Sua irmã mais velha, aos 11, recebe o mais recente aparelho eletrônico lançado, nem sei dizer o nome: tem de tudo, talvez até canivete suíço, se me permite a piada sem graça, caro leitor.
Passado o momento, que fazer? O que se faz depois que os presentes já não são surpresa? Bom, nosso casal acredita que dormir é a melhor resposta.
É o que pretendem fazer, quando a garota, de repente, tenta se justificar. Pai, dessa vez eu queria te dar alguma coisa diferente. Não precisa, querida... Como eu não tinha dinheiro, pedi pra Deus te dar um pouquinho mais de tempo pra ficar com a gente, você mesmo falou que queria fazer isso de vez em quando. O senhor tem umas “olheira” feia, eu tô preocupada. Acho que não vai dar certo, porque “tempo é dinheiro” (é assim que se fala, né?) e dinheiro eu ainda não tenho, mas um dia vou trabalhar que nem o senhor pra poder te ajudar.
A consternação foi grande. Ele e sua mulher jamais permitiriam que, como eles, ela não tivesse tempo para a própria família. Todos abraçaram-se longamente (o garoto sem entender lhufas, apenas concluindo que “aquele dia era mesmo especial”).
De fato, sim. Ali ficou a compreensão de que não se pode, com luzinhas de Natal, ofuscar meses e meses de intensa correria repletos de nervosismo. O Natal deve ser tão somente a cereja no bolo de um calendário com grandes realizações do ano inteiro.
É isso que eu desejo a você: um ano novo tão próspero que o próximo Natal seja apenas mais um belo dia para estar com os amigos, com quem se ama. Esse é, sem dúvida, o melhor presente que todos, sejam jovens, adultos, ou idosos, podem receber. Porque não só o Natal, mas a vida se faz e se vive com pessoas.

Rafael Cardoso

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

25/12/2010

Retrospectiva 2010


Este vídeo é uma junção de todas as coisas que surgiram neste ano de 2010 em relação a internet.

Quatro dias pro Natal hein pessoal.

Passou voando, por incrível que pareça, pelo menos para mim.

Não tem muito o que dizer, apenas agradecer a companhia dos meus leitores neste ano tão bom.

Um ano de batalhas, mas também de vitórias. E a luta continua, vamos em frente, por mais aventuras!!

Desejo a todos um Feliz Natal e que 2011 venha arrebentando de contentamento, realizações e felicidades.

Um beijo daquela que adora escrever para os meus fofos leitores

J.H.C


domingo, 19 de dezembro de 2010

Nada Pra Fazer

Nada pra fazer
Com fome sem poder comer.

Nada pra fazer
Tédio mancomunado
Estraçalhado
Acabado.

Nada pra fazer
Pessoas sem sentido
Vida indestrutível
Olhos de ressaca.

Nada pra fazer
O tempo vai correr
E eu vou ficar mais uma vez
Com minha fome a me corroer.

Nada pra fazer
Linguiça frita
Salada mista
Ovo e espaguete.
Ronca, ronca
Fome, fome.

Nada pra fazer
O que fazer?
Nada pra fazer.

A fome corroe
Machuca
Irrita.

Nada pra fazer.

J.H.C


sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Versos finais

Luz da minha estrada
No sonho a perdiz
Sem você sou nada
Faça-me feliz:

Volte pra me ver
Me conte uma história
Não quero esquecer
Lembranças, memórias

Paixão mais amada
Bem sabe florir
Quando me faz rir
Sem pensar em nada

Se me dizes: “oi”!
Sim, te desconheço!
Perguntas: que foi?
Tenho tanto apreço

Por ti, e só isso?
Berra que me adora
Aqui, lá – agora
Sim ao compromisso!

Pensei em você,
Chorei – não te via!
Em meus olhos lê
Perdão, não devia.

Quero ouvir teu canto
Mais que o mundo inteiro
Pois te quero tanto
Lá no meu chuveiro!

Se assim queres tu
(Viver me enrolando)
Espero no azul
De quem vai sonhando:
O Sol chega ao sul
E estarás me amando!

Rafael Cardoso


quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Choque de civilizações dentro e fora dos países

Para muitos, lidar com as diferenças ainda é tabu. Suprimi-las é o ideal?

A prática denominada bullying existe há muito tempo, mas só agora recebe nome. Nas escolas, alunos ofendem colegas que, na visão deles, possuem “defeitos” físicos e/ou mentais, podendo causar graves problemas emocionais. Na internet, o cyber-bullying: grupos e pessoas fazem comunidades criticando seus inimigos. Através dos sites de relacionamento, até marcam encontros para um combate corpo a corpo. Recentemente, um cruzeirense foi morto por torcedores do Atlético Mineiro, o time rival. Evidencia-se um aumento da intolerância às diferenças do próximo em diversos seguimentos da comuni-cação social.
É interessante. Na atual sociedade – globalizada, informatizada e dinâmica – temos cada vez mais acesso a informações do mundo inteiro, distâncias se encurtam. As pessoas deveriam estranhar culturas distintas? Está mais difícil viver isolado socialmente nos grandes centros urbanos. Podemos ainda, porém, nos tornarmos uma “ilha”?
Sim, mas agora nós chamamos amigos para ela, nosso mundo particu-lar, e ficamos alheios a todo o resto. A variedade de opções culturais não tem sido acompanhada de uma eventual tolerância das nações àquilo que é novidade. O que dizer, por exemplo, do fundamentalismo islâmico, machista e retrógado?
As etnias não deram as mãos, têm medo de perderem sua identidade. Até dentro de um país as disparidades podem ser gritantes entre a população: língua, tradições, forma de pensar, tudo varia conforme a região. A falta de respeito a essa diversidade é o problema principal. Vivemos um choque de civilizações.
A ONU, as ONGs e diversas constituições democráticas pregam a igualdade de direitos entre as pessoas. Não é novidade que a prática não segue a teoria. Assim, milhões de homens e mulheres vivem à margem da sociedade devido a disparidades econômicas, sendo discriminados dentro de sua própria pátria.
Então o ideal seria moldar as culturas, pensam dezenas de corporações espa-lhadas pelo globo. Desse modo, as exigências do mercado seriam ditadas por elas: menos específicas e, portanto, menores. Os consumidores tão somente seguiriam o restante da massa. Teriam fim os conflitos ideológicos, certo?
A unificação das culturas – o que geralmente significa a supressão de uma por outra – não deve ser motivada. Ela busca apenas incentivar a paranoia do consumismo. No entanto, as corporações que citei descobriram que nenhum ser humano é absolutamente igual aos demais. Mudaram de plano: disponibilizam vários produtos culturais, moldando a sociedade e dividindo-a em “tribos”. A luta entre elas enfraquece o sujeito que não se identifica com nenhuma. Então escolhemos (ou somos influenciados a): ser roqueiro, funkeiro ou pagodeiro, por exemplo. Se roqueiro, metaleiro ou emo? O importante é pertencer a um grupo. Você tem que gostar de música, senão é esquisito.
Quantas são as mulheres que tem tendência a serem magras? Quantos homens podem ser altos e fortes? Quem não consegue atingir o padrão costu-ma se sentir mal. A liberdade individual vem sendo desestimulada pelos meios de comunicação por fatores econômicos. Por isso, a psicologia é a profissão do futuro.
A mídia vende tantas ideias... Poderia ao menos oferecer esta: todos nós somos igualmente diferentes. Por que, na escola, as matérias dividem-se entre humanas e exatas? Porque em português (humanas) duas respostas totalmente diferentes podem estar igualmente corretas! Em humanas, dois e dois nem sempre são 4. Ora, a humanidade é complexa, cheia de particularidades.
Pode ser difícil aceitar o que não conhecemos bem, mas tolerância é fundamental aos povos. Com ela, os estádios de futebol estariam sempre cheios, desfrutando a alegria de um esporte sem violência. DJs e metaleiros poderiam, quem sabe, serem bons amigos. Protestantes e católicos não brigariam até a morte na Irlanda do Norte. Teríamos o mundo imaginado por John Lennon, assassinado há exatos 30 anos, por Martin Luther King e tantas outras pessoas que lutaram e conseguiram: o hoje não é tão ruim como poderia ser.
Não é necessário revoltar-se contra o “sistema”, é só não se tornar refém dele. Que tal pensarmos no futuro? Nada utópico. Apenas pare de se queixar porque seu vizinho usa azul e você, vermelho. O que fará toda a diferença será simplesmente respeitá-la, a própria diferença.

Rafael Cardoso
15 de dezembro de 2010

Promise

E hoje, junto com esse dia
Encerra-se um velho ciclo
Do mesmo jeito do anterior
As folhas secaram
O tempo passou.

Mas no meio deste cenário
Uma mancha aparece
Ela ainda não está seca
Nem após todo esse tempo
O sangue continua a escorrer

A lembrança daqueles dias
Ainda continua viva
Assim como a marca
Que nunca será esquecida
A saudade continua a corroer
A tristeza, também.

E quando mais tarde me encontrar
O sangue ainda escorrerá
Mas o calor dos dias
O calor dos desejos
O calor das vontades
Secará e virará pó
Como as folhas secas do outono

Mas o sangue ainda escorrerá
As lembranças ainda estarão lá
E meu coração, mesmo sangrento,
Será oferecido a ti
Em nome de todas as lembranças
Que o tempo não pôde apagar.

Lucas de Figueiredo


quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Let's Go!!

Pessoal, um joguinho para vocês se divertirem um pouco e arejarem a cabeça.

Divirtam-se!!

J.H.C


Uma folha em branco e uma cabeça cheia de ideias

Todos pensam que vida de escritor é fácil, pega-se papel e caneta e coloca-se tudo para fora, pronto, trabalho cumprido.

Grande engano dos que pensam assim, é muito mais profundo e metódico do que isto.

Ter de pesquisar os assuntos interessantes, saber escrever chamativamente, fazendo com que o leitor não se sinta cansado ou entediado, pensar em uma história com começo, meio e fim, colocar lógica nas coisas, escrever...

O ato de escrever é muito mais complexo do que aparenta, muitas vezes queremos dizer coisas que simplesmente são extremamente complicadas de serem ditas com palavras.

Mas não deixemos de lado a diversão.

Escrever é a melhor coisa que pode ocorrer há alguém que quer ser mil coisas de uma única vez. Para pessoas que desejam ser médicos, advogados, atores, pessoas comuns e pessoas complexas e não sabem como fazê-lo, é muito simples, vire escritor. Isso mesmo, em um livro você poderá ser tudo o que desejar, basta querer.

Escrever é o ato mais complexo e mais gratificante que pode existir, pois no final você está juntando a sabedoria com a diversão, e não há nada melhor no mundo que juntar as obrigações com o prazer.

Escrever nos exalta em um nível inalcançável, e só quem o fez com profundo amor, carinho e dedicação irá entender um dia.

É como ir à Lua sem sair da Terra.

Prazer maior que este, só dois deste.

J.H.C


Menina dos Olhos

Era segunda feira, não estava a fim de estudar aquela aula chata de proporções. Estava distraído com meus pensamentos até que ela adentrou a sala.
Linda, esplêndida, um corpo escultural, grandes seios apetitosos, um bumbum arrebitado e coxas de arrepiar.
Inconscientemente estava lambendo os lábios, olhando-a de cima a baixo descaradamente.
Cabelos ruivos e lisos indo até o meio das costas, lábios rosados e carnudos e olhos... Que olhos!!!
De um verde brilhoso parecendo duas pedras de esmeralda.
Ela sorria para mim, um sorriso convidativo que me fez erguer uma sobrancelha e de um modo estranho, surgir um sorriso abobalhado nos lábios.
Ela veio em minha direção, seu corpo rebolando e me provocando por completo. Sentou-se na minha frente, jogando os cabelos para trás me deixando o rastro de seu aroma maravilhoso.
Respirei mais fundo, como se não quisesse deixar escapar aquele ar nunca mais.
Ela se virou me olhando fundo nos olhos, meus normais e sem graças olhos castanhos brilharam com a conexão dos dela, verdes tão vivos e esplendorosos.
Não me lembro se disse algo, se ela disse algo, como aquilo acabou acontecendo, só sei que no instante seguinte a estava beijando avidamente, suas mãos acariciavam minha nuca, me arrepiando do pé a cabeça, e naquele exato instante eu sabia que ela era a Minha menina, a Minha menina dos Olhos, dos Meus olhos!

J.H.C

Pegar no Sono

Minha mãe me manda pegar no Sono, mas não é uma tarefa muito fácil.
23h00min P.M. Estou deitada na cama, esperando o Sono chegar. Ele se aproxima, estatura média, nem gordo nem magro, proporcional, de cabelos extremamente castanhos, olhos de um azul profundo, pele alva, com um sorriso extremamente cativante nos lábios. Me mantenho em silêncio, os olhos semicerrados na expectativa.
Ele está próximo, já consigo sentir sua respiração perto do meu rosto, me observando atentamente.
Sem pensar, minhas mãos ágeis o prendem pelas costas e o puxam para cima de mim, beijando seus lábios avidamente, ele, pego de surpresa fica meio atordoado, mas rapidamente suas mãos estão descobrindo meu corpo, sua língua enrolada na minha, sua pele roçando em mim, as respirações mútuas, um único corpo.
Uma noite maravilhosa.
06h00min A.M. o rádio relógio toca, me despertando. A mão acostumada da um peteleco nele, o fazendo ficar silencioso.
Abro os olhos de areia, meio sonolenta ainda, vejo-o sair do quarto de fininho. Me irrito, por que tinha de acordar justamente agora? Estava tão bom...
Bufo inconformada.
Ele se foi, e mal posso esperar para que a noite venha novamente, me trazendo junto do luar um presente magnífico, meu Sono maravilhoso, com seus sonhos delirantes.

J.H.C

Contas!!!

Acorda, levanta, tome café!
Se arrume logo,
Não se atrase!
O relógio é seu maior inimigo.

O sono pesa,
O bolso, também
Você não pode fazer nada
Trabalhe, se vire
Pague as contas!

O mês chega ao fim
Suas energias também
Mas um novo mês começa
E sua energia?
Durma duas horas.
E pague as contas!

Tijolo após tijolo
Novas casas são construídas
Suas mãos estão calejadas
Sua mente e sua barriga, vazias
Você quer voltar para casa
Mas a chuva não deixa
Você quer voltar para casa
Mas seu chefe não deixa

Suas duas horas acabaram
Acorda, levanta, tome café!
Se arrume logo,
Não vá se atrasar!
E pague as contas!

Lucas de Figueiredo


sábado, 11 de dezembro de 2010

Nossos nós

Existe um mundo a ser descoberto
Existe um tolo - pensa parado
Existe um rapaz de peito aberto
Existe alguém que o deixa amarrado

Quem é doce deve ser amargo
Quem vê flor desconhece a raiz
Quem vê o estreito ignora o largo
Mas quem te impede de ser feliz?

Você mesmo ou o que pensas que é?
És assustadora incoerência
Mistura incompleta, adolescência
Quando adulto perderás a fé

Em nós mesmos, ou o que pensamos ser
Nesta luta, mar de esmos que é viver.

Rafael Cardoso

A Recíproca

É tão bom o amor recíproco,
A valsa começa, os casais desfilam
E no meio do salão, você e ele dançam
Vocês não percebem, mas nada mais importa

E a valsa continua
Mãos entrelaçadas,
Quadris alinhados
Vocês não percebem, mas nada mais importa

E assim vocês vivem,
Dançando na mais bela sinfonia,
Mas, assim como as outras, esta também se esvai

A dama de preto surge
Ou o interesse muda
O tempo passa, e vocês também não o percebem.

Lucas de Figueiredo

Muito lindo, e muito triste.

J.H.C


Parabéns vovó!!

04/12/2010 - 89 anos.

Vovó, minha querida vovó,

sei que este recado está atrasado, mas tinha que estar perfeito para a senhora.

E mesmo assim, talvez eu não consiga tal façanha. Me perdoe, mas chegar ao seu nível é coisa do outro mundo, rsrsrs.

Vovó, a senhora foi mais do que especial para mim, foi um exemplo de vida e de sabedoria e dedicação.

Você foi a avó que todos gostariam de ter e que é minha.

Você sempre estará no meu coração.

Não a conheci, é bem verdade, e uma grande pena, mas eu sei que no fundo não foi necessário. Tudo o que precisava saber você, de um modo ou de outro deixou subentendido para mim.

Obrigada vovó, por ser tão maravilhosa.

Obrigada vovó, por ter sido quem foi.

Esteja onde estiver, sei que verá meu recado.

Uma mulher batalhadora, fique em paz.

Eu te amo demais!

Mamãe sente falta da senhora, mas temos consciência do quanto à senhora está cuidando e olhando por nós.

Um imenso beijo do fundo do meu coração,

com imenso amor e carinho, da sua neta

Jéssica Helena


Sie!

Naquele mar azul eu encontrei a paz.
A coisa mais bela que já vi,
O sorriso mais encantador,
Os lábios mais doces,
A face mais angelical.

Por que tinha que estar tão longe?
Aprovações do amor?

Pois amo, amo sim, e farei de tudo para ficar ao seu lado.
Dois velinhos andando pelas ruas de Londres.

Você me traz paz e felicidade.

Os deuses me torturaram,
Mas os céus me trouxeram um presente,
Tão maravilhoso como você é,
Que toda tortura do mundo vale a pena.

Que sorriso incrível o seu.
Puro e sincero.

Quem diria, hein?
Eu, abobalhada como há muito não ficava.
Você será que também está?

J.H.C


sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Rabbit

Coelhos, por que coelhos?
Por que? Por que coelhos?

Você, você, você.
Por que você?
Você por que?

O tempo não para,
O tempo é inimigo da sabedoria,
O tempo é inimigo da perfeição.

Tempo tempo tempo.

Você, coelho, por que?
Por que você?
Coelho, coelho, coelho, por que?

O tempo corre ao seu tempo,
O tempo não tem hora para nada,
O tempo é estranho e cruel.

O que me importa
é que sonhei com você.
Mas por que coelhos?
Por que? Você, por que?

Você, você!!

Coelho!!

Dormi, sonhei, vivi.
O tempo me deu coelhos.
Não, o tempo me deu você.
Mas por que?

Coelhos, você e coelhos,
Coelhos e você.

Seus cabelos dourados
Não me enganam jamais.

Coelhos.

Você.

Por que?

J.H.C


quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Anjo

Naqueles olhos azuis eu vi a alegria,
Uma alegria que de início ficou subentendida,
Mas que logo se mostrou bela e constante.

Naqueles cabelos cor de cobre eu vi a perfeição,
Uma perfeição além dos olhos humanos,
Uma perfeição angelical e doce.

Naquele sorriso eu vi sabedoria,
Um sorriso perfeito e gostoso,
Um sorriso bonito e charmoso.

Em você, eu vivi meus melhores momentos,
Momentos estes que estão eternizados e enraizados no meu ser.

Com você eu aprendi o que é ser feliz.

Danke!

J.H.C

A Vida Muda

Me peguei vendo um dos tantos vídeos do Felipe Neto, e me deu vontade de reler alguns posts que fiz no blog há algum tempo atrás.

Meu blog não tem mais de nove meses, e eu já escrevi coisa pra caramba nele!

Ok, venhamos e convenhamos, tive uma boa ajuda.

Mas o fato é, eu realmente escrevi bastante coisa nele, hoje eu acho que são horríveis, mas vi o quanto evoluí.

A vida é uma constante evolução das coisas, ontem eu tinha um pensamento, hoje tenho outro e amanhã terei um novo. As opiniões mudam, os conceitos se diferenciam, e nós, sem notarmos, somos moldados conforme vamos vivendo.

Felipe Neto. Felipe Neto é um cara que só queria expressar as opiniões dele e acabou virando moda na sociedade, mas veja, nem tudo é ruim. O cara não só mudou muitos pensamentos como mostrou que a vida pode sim ser boa, pode sim ser como desejamos, basta lutar!!

E com simples demonstrações, muitas vezes até hilariantes, ele conseguiu fazer com que toda uma geração de pessoas que não tinham mais sentido na vida, começassem a ter voz ativa. Esse tipo de pessoa é que molda a sociedade, são as grandes cabeças. O problema é quando a sociedade se deixa levar pelas cabeças erradas.

A questão é que, às vezes achamos que não somos capazes de alcançarmos nossos sonhos e objetivos, e que vamos ser constantes a vida inteira, e a verdade é que não, não vamos, por mais que queiremos, mas isto não significa que precisa ser ruim, só significa que a vida segue, e que devemos aproveitar cada instante.

Os planos vão mudar, as ideologias vão se diferenciar, as pessoas vão evoluir. É um ciclo constante, basta agora nós criarmos este ciclo conforme desejarmos.

J.H.C


Brasil, sujeito oculto

Letra e música: Rafael Cardoso

A literatura do sorriso
Enganava o Brasil
Mostrando um paraíso
Que ninguém jamais viu


A gente copiava o estrangeiro:
o alemão, o italiano, o francês.
E o caipira foi esquecido, disse Monteiro
Na obra chamada Urupês


Euclides encontrou em outro país
Uma tristeza muito grande nos corações
De uma gente solitária e infeliz
E assim escreveu os sertões

Cidade,
Sertão,
Lugares opostos
Maldade,
Solidão,
Salgados impostos

No campo ou aqui
Somos sempre o país do futuro
Vítimas de alienação
A literatura que sorri
Possui um lado obscuro
Condenando a modernização.

Caro professor Wagner, é com imenso prazer que lhe concedo tal pedido com a ajuda de nosso querido amigo Rafael.

Um beijo,

J.H.C

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Quarto terceiro soneto

E no meio dos poemas, eis o soneto!
Comecemos com o padrão
Par de quartetos e de tercetos aparecerão!
E assim em 14 versos virão.

Logo atrás, mas não menos ousado,
Sonetos Romeu & Julieta chegarão
Três quartetos e um dístico desajeitado
E assim em 14 versos virão.

O monostrófico é unido, parceiro e amigo.
Quartetos e tercetos sumirão
Mas mesmo assim, em 14 versos virão.

E lá ao longe, na densa neblina
Surge um soneto que alucina
Desafia a lógica, desfila.

Eis soneto estrambótico
O terceiro dos terceiros surge
E dos 14 versos, mais três surgirão.

Lucas de Figueiredo


Everything is perfect now

A noite vem chegando
O vento sopra em meus cabelos
A chuva cai monótona
E minha boca sorri.

Ao norte as águas se agitam
Ao sul montanhas se erguem
Minha pele está fria
Minha cabeça está longe
Meus olhos estão atentos
Minha boca sorri.

Tarde da noite,
A lua brilha no salão
E eu continuo na varanda
Meus olhos brilham
A esperança cola em minha face.

Tudo está perfeito agora
Estou com todos na memória
Tudo está calmo agora
Estou em paz comigo mesmo

Tantas guerras ocorreram
Tantos homens morreram
Tantos sentimentos se foram
Tantos momentos passaram
Tantas lágrimas rolaram

Tudo está perfeito agora
Tenho todos na memória
Tudo está calmo agora
Estou completo.

As águas chegam aos meus pés
O vento bate em minha face
Os perfumes cercam meu nariz
E minha boca sorri.

Tudo está perfeito agora
Permaneço com todos na memória
Tudo está calmo agora
A noite me protege.

E o tempo passa
A vida flui
Os pensamentos mudam
E minha boca sorri.

Lucas de Figueiredo


O Amante

Já era noite quando tu chegaste
Trazendo contigo a mais bela sinfonia
Meus olhos abriram, cheios de lágrimas
Enquanto a tua voz eu ouvia.

Ela era doce, suave
Tinha o dom de encantar
E nesse encanto
Pus meu sonho a navegar

Juntos fizemos a melhor viagem
A viagem a um mundo encantador
Fomos sentados na carruagem
Trocando juras de amor

E agora estou na cama a tua espera
Esperando a mais bela sinfonia
Tenho certeza que ela virá
E por todos os cantos ecoará,
O mais sonoro sim...

Lucas de Figueiredo


Sincronia

Noite enluarada
Suas mãos tocam em minha face
Meu sorriso aparece
Meu sentimento se revela
Você pega em minha mão
Sinto seu calor
Sinto seu cheiro
Nossos lábios se tocam

Noite estrelada
Minhas mãos tocam em sua face
Seu sorriso aparece
Seu sentimento se revela
Eu pego em tua mão
Você sente meu calor
Você sente meu cheiro
Nossos lábios se encontram

Na cama, o tempo para
As ações se entrelaçam
Os desejos são mútuos
As vontades são gêmeas

O luar banha meu quarto
A química se manifesta ao acaso
O jogo recomeça

O ar está bom
E nós mergulhamos
Você sente meu cheiro
Eu sinto teu calor
Tudo está certo
Tudo está perfeito
Mas você não está mais aqui.

Você não existe.
Você não é real
Eu acordo e digo
Obrigado.

Lucas de Figueiredo


Soneto do nunca

Chega desse mundo de dor
vamos ao mundo do amor
Vamos bailar, vamos dançar
Vamos à terra do nunca.

Vamos à diversão
vamos pular, brincar.
fazer a energia se esgotar
Vamos à terra do nunca.

Meu mundo gira
minha mente imagina
Estamos na terra do nunca.

O tempo não existe
minha alma está liberta
Estamos na terra do nunca.

Lucas de Figueiredo


domingo, 5 de dezembro de 2010

Impossibilidade da permanência

A cegueira noturna é dominante.
Sim, meu peito infla numa intensa dor.
Confuso estou, como manter o amor
Como eternizar este exato instante?

Não tenho medo de não ter ninguém
Mas posso estar completamente só
Estrelas que sonham vão muito além
E fico, viro bloco pedra pó.

Ah, se tudo ficasse como está
Se sessenta sessões se sucedessem
Sem passar, sossegando corações

Traria-os eu depressa para cá
- Mundo meu, evitando que sofressem
As velhas constantes recordações.

Rafael Cardoso


sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

O capítulo acaba, mas a história está só começando... Uma página se vira para todos nós

Sentirei saudades de todos,
Dos mais chatos até os mais legais.
Sentirei saudades das brigas,
Sentirei saudades das risadas,
Sentirei saudades das pressões
E das liberdades
Sentirei saudades de um passado que não volta mais.
Mas tenho de olhar para o futuro,
Um futuro cheio de esperanças,
Cheio de medos,
Cheio de expectativas.
Agradeço a todos que me ajudaram a caminhar por esta trilha da vida,
Por facilitar a caminhada
E por muitas vezes caminharem junto comigo.
Agradeço a todos que me irritaram,
Me menosprezaram,
Me fizeram crescer.
A vida segue,
Os planos mudam,
Mas o aprendizado fica.
Aqueles que amei muito estarão para sempre comigo,
Afinal, aqueles que realmente amamos sempre nos acompanha, independente dos caminhos.
Uma batalha está por vir, e temos de ganhar essa luta com muita garra e euforia,
Vamos conseguir, sei que vamos.
Agradeço e deixo aqui as minhas eternas saudades.
Obrigada a todos que fizeram parte de uma história muito bem vivida,
Agora seguirei em paz, com a certeza de que cumpri meu papel.
Encaremos o amanhã e deixemos um adeus para o passado, com muito amor e carinho.

J.H.C


quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Execução!

Casacos brancos, pessoas brancas
Gritos a todo o momento
Dor.

Não consigo me mexer
Não consigo respirar
Gás.

Preso num pesadelo
Sombras a minha volta
Alucinação.

Num mundo escuro
Nada vem à cabeça
Sofrimento, gritos, dor
E no meio disso surge a risada.

Ela vem estridente, bate nos ouvidos
Já não posso olhar para cima,
Não posso olhar para os lados
Muito menos para baixo
Feche os olhos.

E com isso vem o alívio
A mente resplandece
A alma transcende
E de longe você vê um corpo
Mutilado, machucado, maltratado
Vejo o gás, a camisa de força
Vejo a injeção, vejo os culpados
Vejo tudo, Vejo o buraco.
No meio da testa, no meio das ideias
Tento contestar, refutar,
Mas já passou
Flutuo e me dissipo
Morro.

Lucas de Figueiredo


Light of the Idea

E no meu quarto,
Em frente à janela
Meu pensamento escorre
Poluindo o papel
E a ideia surge dali
Um pequeno ponto de luz
Iluminando a vida
Escurecendo a dor
O intenso é minha palavra
O ego, meu jogo
E a vida vira uma roleta
Ora sim, ora não
Três letras, duas escolhas
E aqui os caminhos se dividem
Eu me junto em você
E me separo de meu corpo
Eu flutuo, no meio do papel
Um ponto branco, uma ideia
A vida se Ilumina
A dor se escurece
A Intenção se revela
A palavra é dita
A escolha é feita
E eu continuo em frente à janela
E o mundo gira
A vida gira
Meu pensamento escorre...
E o papel vive!

Lucas de Figueiredo

Sua inspiração está sendo maravilhosa!!

J.H.C


Ignorância

E um idiota passa o tempo
Não tem nada para fazer
Sai correndo
Vai para um mundo onde não há nada
O mundo vazio
O mundo da ignorância

E logo quando ele entra
Ele se prende nas cordas
E elas chicoteiam a alma
Ele sofre, mas é o que lhe resta

Ele não pode fazer nada
É ignorante
Ele não pode fazer nada
Está inoperante

E as cordas chicoteiam
O sangue escorre
E as cordas chicoteiam
Mas a alma não se dissolve

E naquele mundo ele sorri
Nada ele pode fazer
Sofrer já sofre
Por que viver?

Ele não tem escolha
Ele não morre!
E ao som das cordas
O sangue escorre...
O sangue escorre...

O mundo da ignorância machuca e acolhe
O mundo o faz sofrer
Mas ele não liga
Nada tenta fazer

E ao som das cordas
Besteiras são escritas
e ele nada pode fazer
O mundo da ignorância machuca
mas acolhe
E ele não morre
mas o sangue escorre...
o sangue escorre...

Lucas de Figueiredo

O mundo é cheio de loucos, mas dependendo da sua loucura, os resultados podem ser temerosos.


J.H.C




terça-feira, 30 de novembro de 2010

Sonho Meu

O Mundo está de cabeça para baixo,
Mas eu estou com você.
Fecho meus olhos e penso
No toque da sua pele com a minha
Em plena neve,
Outrora numa tempestade torrencial
Ou nas areias brancas do deserto.

Penso em ti no meio das nuvens
Fazendo o fervor das estrelas
Sacudindo o Olimpo
Desmoronando montanhas
Intensificando Terremotos

Penso em ti também
Na mais linda Lótus,
Em plena primavera
Quando tu me abraças
Sinto o cheiro da mata
Do orvalho das plantas
Da densa neblina

Penso em ti de todo o jeito
Sempre ao meu lado
Com seus doces toques
Com seus doces beijos
Com seus doces carinhos
Essa doçura me alucina
Essa doçura é minha sina
E assim vai passando meu sonho
No meio das densas neblinas
Dos densos desejos
Dos densos amores

E então acordo,
Protegido em meus cobertores,
Com a mais forte e pura saudade de você
E do sonho, e das neblinas, e do deserto...

Lucas de Figueiredo

Isso porque você não está apaixonado, imagina se estivesse...

J.H.C



Reality show

Minha terra tem trincheiras
Manda quem “metralhá”
E aqueles que os rodeiam
Só gorjeiam se atirar

Nossos morros
Mais guaritas
Nossas vidas
Bem mais dores

Não permita Deus que eu morra
Sem poder presenciar ou ver na globo
A terra que tem trincheiras
E manda quem “metralhá”.

Rafael Cardoso

É meu querido amigo, você soube usar este poema sem zua-lo e com muita sabedoria! Meus parabéns, como sempre, surpreendente!!

J.H.C



Saudades & Retomada

Primeiramente venho através deste dizer aos meus fiéis leitores que eu não morri e que meus amigos não tomaram posse do que era meu, apenas gosto de compartilhar as boas coisas com os que merecem.

Espero que tenham gostado dos poemas, e vem muito mais por ai. Estamos com um GRAAAANDE projeto futurístico que vai explodir, aguardem!!!

Mas se você estava com saudades dos meus longos e monólogos textos cá estou, com muito prazer e alegria de compartilhar novamente os sentimentos, seja lá quem for você.

Várias coisas ocorreram neste mês.

Prestei quilos e quilos de provas de vestibular, montes de árvores mortas e mais papel para ser jogado fora... Não passei em nenhuma desejada, as particulares que me aguardem.

Chorei em público, um choro sentimental, do fundo da alma, um choro triste, sentimento de abandono, dor...

O ano está acabando, e normalmente fico feliz quando este tipo de coisa ocorre, está chegando o Natal, a época que mais gosto... Mas não este ano, não desta vez.

Um sentimento horrível vem me aniquilando, fazendo inclusive que me falte inspiração...

Graças a Merlin tenho bons amigos que me encobriram e não deixaram que meu blog ficasse parado.

Graças a Merlin, passei os melhores momentos ao lado daqueles que chamo de amigos, aqueles que me alegram mais que tudo nesta vida.

Estes estarão para sempre guardados no fundo da alma, um pedaço do meu ser é eternamente agradecido a eles, aqueles que me ensinaram a arte de amar.

E por serem tão maravilhosos venho sofrendo solitariamente, mudanças nunca me agradaram, e quando são maiores me agradam menos ainda.

Mas a vida segue... As coisas mudam, e somos obrigados a nos acostumar.

A questão, caro leitor, é que não consigo mais me ver sem eles, é tão difícil encontrar aqueles que nos amam realmente... E num piscar de olhos eles desaparecerem... Dói.
.
.
.
...

Este mês foi agitado, poemas para me alegrar e lotar meu blog de conhecimento.

Este mês me deu uma ilusão e uma dor profunda ao mesmo tempo.

Conheci gente nova, ri com gente velha, chorei com saudade do passado...

Mas venho aqui caro leitor, apenas para informar que estou viva, e que me manterei fiel a este blog, porque descobri também neste mês uma coisa surpreendente.

Tão surpreendente que me viciou rsrsrs

Eu aposto que você está curioso, e não é pra menos...

Pode me chamar de ignorante, mas eu não sabia que dava para ver da onde vinham meus leitores, e eu simplesmente fuçando para melhorar o visual do blog(o que acabei não fazendo) descobri que tenho leitores até na Turquia!!

Bom, isso me deixou mais do que feliz, me deixou empolgada, em meio a tantas tragédias, pelo menos algo bom...

Então, venho através deste meio maravilhoso que é a internet agradecer do fundo do coração e dar as boas vindas a:

Brasil!!!(1.431) Não sabia que tinha tantos leitores, obrigada povo brasileiro, por me apoiar tanto!!

Reino Unido!!(108)

Estados Unidos!!(103)

Arábia Saudita!!(32)

Canadá!!(24)

Coréia do Sul!! (23)

Japão!! (19)

Polônia!!(19)

Espanha!! (18)

Turquia!!(18)

Portugal!! (1)

Alemanha!! (1)

Rússia!!(1)

Taiwan!! (1)

Muito obrigada!!

thank you!!


thank you!!


شكرا لك

thank you!!


감사합니다 !!

ありがとう!!

dziękuję!


gracias!


teşekkür ederim!

Muito obrigada!!

ich danke Ihnen!!

спасибо!

ขอขอบคุณ!

Eu não sei se o meu blog é visitado por brasileiros que estão fora daqui, ou se são realmente pessoas desses países, mas não importa!! Só tenho a agradecer, e comentem!! Não importa que seja em outra língua, eu vou ler e responder!!

Mais uma vez obrigada!!!!

Beijos com muito carinho

J.H.C


segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Crazy Passion

A incontrolável
Paixão
A insaciável
Paixão
A incansável
Paixão

A escandalosa
Paixão
A intensamente amorosa
Paixão
A misteriosa
Paixão

A magnífica
Paixão
A que edifica
Paixão

Paixão...
A que te deixa maluco
Paixão...
A que vira o mundo
Paixão
O fluido picante e amargo
O cheiro do corpo
A vontade de possuir
A que não te deixa dormir
O desejo companheiro
Paixão...

A grande vermelha
O intenso escarlate
O escândalo do jornal
A paixão mortal
A paixão infernal
A paixão!

Lucas de Figueiredo


Do jeito que você anda magnífico, poderia me arranjar um namorado perfeito hein rsrsrs

J.H.C


sábado, 27 de novembro de 2010

Poema Ideal

Tempo de Preparo: Depende da disponibilidade dos ingredientes
Porções: Geralmente uma folha, se você não for discípulo de Camões.

Ingredientes:

Uma xícara de Harmonia com o ambiente;
Um Kg de Sentimentos
Uma dose de concentração
Uma fonte de inspiração.
Loucura, rimas e figuras à gosto

Modo de Preparo:

Numa folha de papel (pode ser digital se preferir), coloque os ingredientes. Mexa bem a massa de ideias e comece a modelar conforme o sentido que você desejar. Forma é opcional.
Para temperar, coloque rimas, figuras de linguagem e analise a métrica se preferir.
Depois, bata tudo no coração, na medida ideal para os seus sentimentos. A frequência é muito importante nesse processo.
Aqueça a ideia num forno cerebral até começar a sentir um cheiro bom (ou ruim, o importante é ter um cheiro de você).
Coloque na mesa e compartilhe-o com quem você quiser.

Dica: ler em voz alta pode aumentar o gosto da satisfação.

Lucas de Figueiredo

O que dizer? Para quem gosta de cozinhar e escrever, como eu, este poema é incrível!!

J.H.C


Soneto do pastor

Sonhei que a barba estava mal feita
e minhas roupas na beira da estrada
Diziam na voz um tanto embargada:
Não adianta lutar, descansa e deita.

Mas sem cama não há repouso algum
De modo que a luz chegou até mim
Agora não sou apenas mais um
Sou soldado da batalha sem fim

Contra o mal, pelos homens e por Deus
- Eis minha tão nobre missão. Mas eu,
mero proletário das escrituras

Sofro vendo amigos meus – criaturas
-Discutirem crenças como os hebreus.
Ai, ai... Será que a Bíblia ninguém leu?

Rafael Cardoso

Apesar de você não virar padre, seria maravilhoso se o fosse...

J.H.C


sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Estrelas Na Terra

Gostaria da determinação
Que a jovem dos negros cabelos possui.

Gostaria das sementes da criatividade
Tão bem germinadas no adorador do café.

Gostaria do sentimentalismo
Proveniente da grande mãe
Que sempre me acompanhou.

Gostaria da alegria e o sorriso
Tão vistos no amante de Explouds

Gostaria também da bondade
Vinda do companheiro da União.

Mas também gostaria de ser forte e único
Assim como o ainda desconhecido ser
Dono da força da verdade.

Com essas palavras as atitudes saem do papel
Virando o pó das estrelas,
Absorvido pela mente,
Guardado na memória
E sentido no coração.

Lucas de Figueiredo

Serei sempre o que você desejar, o que importa é que fui eficaz!!!

J.H.C.



quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Mãos Dadas

O momento é (como sempre) de se unir. Será possível dessa vez?


Mais um ano chega ao fim. Copa, eleições, escândalos em Brasília, tudo ficou para trás. Passou rápido, parece ter sido ontem que quase todo o país pedia Paulo Henrique Ganso na seleção. E mais da metade dele elegeu Dilma Rousseff presidente da república. Fazer uma espécie de balanço dos meses passados não é fácil, até porque ainda temos dezembro. Por isso, vamos nos ater ao fato principal.
O país voltou a crescer, recuperando-se como poucos da depressão gerada em Wall Street. Sem dúvida, isso tranquilizou milhares de brasileiros que temiam o amanhã e agora têm um emprego. Foi essencial também para a vitória do governo e sua consequente continuidade.
O momento é bom, porém é sempre necessário uma dose de cautela. A guerra cambial entre EUA e China não nos convém, assim como um possível rombo no orçamento de 2011. Os investimentos em infraestrutura precisarão aumentar e para tanto, espera-se que o presidente Lula não tenha exagerado nos gastos nesse ano eleitoral.
Além disso, é preciso implantar reformas há muito adiadas como a agrária, a tributária e a da saúde, por exemplo. Somente através delas o crescimento econômico pode gerar uma distribuição de renda mais justa. Mas controlemos nossa euforia: vale lembrar que o mercado global é imprevisível e seria irresponsável, como geralmente se diz, “dar um passo maior que a perna”.
O futuro pode ser bom para nós: copa, olimpíadas, pré-sal... Mas sonhar demais é um erro, prendamo-nos ao presente para planejar um futuro sem tirar os pés do chão. Não é (e nunca foi) hora de sufocarmos uns aos outros, e sim de estarmos unidos: um povo mais ciente de seus direitos e deveres, uma imprensa menos imparcial e um governo mais transparente. Como disse o grande poeta Carlos Drummond de Andrade: “O presente é tão grande, não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas”.

Rafael Cardoso
20 de novembro de 2010


Acompanhá-lo nesta imensidão que é a vida será um imenso prazer.

J.H.C


domingo, 21 de novembro de 2010

Soneto da Não Despedida

Se pudesse esse seria meu último poema,
Pois o brilho no olhar não existe mais,
Se pudesse esse seria meu último poema,
Sei que já não sou capaz.

Esse seria meu último poema,
Pois não vejo mais flores,
O sol já faz tempo que sumiu,
E levou consigo o calor que trouxe.

A brisa sopra entre meus cabelos,
Chamando-me para a escuridão do oceano,
Uma parte do grande azul desse pela minha face.

Ouço uma última canção,
A mais monótona e grave de todas,
Linda e letal, forte e fatal.

Lucas de Figueiredo

Uma honra ter seus poemas em meu blog, não pare com isso jamais! Você tem um dom incrível!!

J.H.C


Soneto da Fraqueza

Meus passos estão na areia,
fina, lisa e branca.
Meus passos continuam na areia,
mas os verdes campos já não existem mais.

Meus passos estão na areia
esperando que o vento os apague
Meus passos continuam na areia
que o mar, tão perto e tão longe, quer devorar...

À medida que o senhor do Tempo passa,
As pegadas vão desaparecendo,
O vento aumenta.

Uma vida já não existe mais,
A outra, considera-se perdida.
Mas não conseguirei dizer adeus, jamais.

Lucas de Figueiredo

Viva intensamente, porque algumas coisas são únicas e não voltam.


J.H.C.

Sentimentos & Sensações - V

A cada momento me sinto melhor
Muitas coisas mudaram, mas você
Incrivelmente continua a mesma
Zela por mim, mas não me impede de
Amar.
De todos os sentimentos
Este é o mais bonito, o mais múltiplo.

Lucas de Figueiredo

Entendi o recado. Obrigada!!

J.H.C


Sentimentos & Sensações - IV

Teu sonho acabou
Risos não se ouvem mais
Infelicidade não é o seu nome
Solidão é sua consequência
Teu sonho acabou
E levou consigo toda a luz
Zero é onde começa e termina
A importância de sua vida.

Lucas de Figueiredo


Acho que você precisa de um chá de alegria.


J.H.C

Sentimentos & Sensações - III

Imerso no vale das sombras,
Noturno ser descansa
Vive sozinho num mundo
Em que tudo parece tão seguro
Jogando com sua própria vida
A vida que na verdade não existe.

Lucas de Figueiredo

O mês de Novembro vai entrar pro guines!


J.H.C


Sentimentos & Sensações - II

Dentro de meu ser
O escuro fluído contamina
Retirando a esperança do caminho.

Lucas de Figueiredo

Já não sei o que comentar... Se as pessoas lessem este blog, eu iria no Jô rsrs

J.H.C.

Sentimentos & Sensações - I

Meus caminhos chegam ao fim,
Olho por todos os lados, nenhuma saída.
Rios secaram, árvores morreram,
Trovões e tempestades vieram
E quando percebi, a vida escorria das minhas mãos.

Lucas de Figueiredo

Realmente, acho que o rumo da sua vida agora mudou para poeta rsrs

J.H.C.

Inveja

Inveja...
Inveja mata,
Inveja é cruel,
Inveja não é boa,
Inveja é decadente,
Inveja é deprimente,
Inveja é tudo de ruim...

E você acha que eu tenho inveja?

Inveja é tudo de ruim...
Inveja é deprimente,
Inveja é decadente,
Inveja não é boa,
Inveja é cruel,
Inveja mata,
Inveja...

Tem certeza que eu tenho inveja?

Inveja, o pecado miserável,
Inveja, que te deixa vulnerável,
Inveja, o mais tolo pecado,
Inveja Bestial,
Inveja...

E você ainda acha que eu tenho inveja?

Lucas de Figueiredo

O homem que possui inveja do próximo, nunca conseguirá ser grande.


J.H.C


Gula

Eu quero sempre mais
Coisas pequenas não me apetecem
Coisas grandes me engrandecem

Eu quero sempre mais
Luas, estrelas, oceanos...
Eu quero sempre mais
Mais do que eu nunca tive

Eu quero sempre mais,
Talvez porque tive muito menos
Eu quero sempre mais
Eu quero VOCÊ.

Lucas de Figueiredo

Seja lá quem for, te conquistou muito forte hein...

J.H.C


Caminho do Sofrimento

Na minha vida sempre tive dois caminhos
Sempre escolhi o mais escuro
A noite arranhou minha alma
E despedaçou minha mente.

Na vida sempre tive dois caminhos
O florido não me deu confiança
E quando estava na esperança
Ela perdeu sua cor
Quando o caminho escuro escolhi.

Sinto de longe o cheiro das Folhas,
O cheiro das Flores,
O cheiro dos Frutos
Sinto de perto o cheiro da dor,
A chama do desejo
O chamado da tristeza.
O abraço do desespero,

O caminho escuro escolhi
Pensando que poderia achar uma Lótus,
Mas, neste caminho, nada colhi.
Ah, como queria fazer tudo certo!
mas esse caminho me acompanha
O caminho do sofrimento,
Vejo de longe o amor e balbucio
Lamento.

Lucas de Figueiredo

Às vezes, escolher o que parece o mais correto pode ser o errado.

J.H.C

Eu Fiz Uma Escolha Certa

O tempo passou,
Mas eu fiz uma escolha certa
O tempo passou,
E estou numa rua deserta.

A cada canto que olho, vejo você
Você, que minha mente nunca quis esquecer
Você, aquele que me fez viver.
Guardei cada momento, cada jogada
Esperando que assim
Tivesse uma parte de ti
Pertinho de mim.

Ainda quero viver o desejo que sempre tive
Mas sei que é impossível
Porém esperarei até o fim
Lembrando de tua boca irresistível.

Vejo manchinhas marrons na areia
E me vem na lembrança a tua face
Seus cabelos, cor da noite de tempestade
Desejo que nunca consumei.

Vejo manchinhas marrons na areia
E me vem na lembrança a tua face
Seus olhos, que sempre me encantei
Me fazem sentir o gosto da tua boca
Que nunca beijei.

Lucas de Figueiredo

Sem comentários para o amor que você anda sentindo.

J.H.C

Iluminação

E Ela veio, de maneira avassaladora,
devastando a escuridão que a envolvia
Seus cabelos dourados balançavam em suas costas
e um sorriso aparecia em sua face.

Ela veio, assim como a luz invade um quarto escuro,
Não esperava que viesse, numa hora como essa,
Mas Ela veio.
Ela mudou tudo, e tudo ficou claro para mim.

As águas que estavam a minha volta ficaram claras,
As árvores agradeceram a luz bem vinda
O ar deixou de ser sombrio
E todos agradeceram, secretamente, a Ela.

Mas eu não agradeci,
eu fiquei no meu canto, ainda escuro
Quando finalmente vi sua face,
ela sorriu para mim, e veio em minha direção.

Quando Ela chegou perto, um sentimento surgiu,
Quando Ela chegou perto, vi toda a verdade,
Seu rosto tinha mudado
e ela começou a se despir.

E quando ela terminou, eu percebi
Que aquele momento era único.
Seu corpo não era um corpo comum
Nele, tinham muitas faces gravadas.

As faces eram sorridentes, igual ao seu rosto
Igual ao seu coração.
E nesse momento eu pude perceber
Que o sentimento que surgira não era um sentimento

Era Ela, que clareava meu ser,
Era Ela, que olhava e sorria para mim,
Era Ela, em suas múltiplas faces.
Era Ela, a amizade.

Lucas de Figueiredo

Amizade é algo muito bonito quando se é puro e dado de coração.

J.H.C

No Campo de Lótus

No campo de Lótus eu o vejo
Andando, pelas flores iluminadas.
A profecia que tu apagaste nos libertou
e a pedra que causava ondas e turvava o lago
Afundou.

O mundo que você criou é lindo,
mas mais lindo é o sentimento que nutro por ti
As flores de Lótus continuam belas
competindo com as estrelas do céu.

O veneno que existia na humanidade dissipou-se
assim como a dor e o ódio
e onde só havia trevas,
Nasceu o sentimento mais puro,
o Amor que sinto por ti.

É nesse mundo que eu quero sempre viver
Ao teu lado supero tudo
A solidão não mais existe
Só existem seus olhos carinhosos
Que penetram nos meus.

Eu te amo e sempre te amarei
Cumprindo a verdade de meu coração
Nada mais importa
Nada mais existe
Além do amor que sinto por você

As Flores de Lótus embelezam a noite
festejando e rememorando o dia que te encontrei
Foi um dos dias mais felizes da minha vida,
mas sei que ainda melhores virão.
Você me abraça e me beija
e assim olhamos as flores de Lótus
E dentro de meu coração soa uma única frase:
Eu te amo.

Meu amor por você brilhará eternamente...
Meu mais querido amor...
Para sempre...

Lucas de Figueiredo

Extremamente apaixonante.

J.H.C


Marcado na Memória

Rosto bonito, pele macia.
Cabelos de uma noite tempestuosa
Manchinhas marrons em meio a areia.
Estrelas nos olhos
Nariz marcante
Orelhas proporcionais
Sorriso brilhante
A boca é o portal do inferno,
A estatura não diminui o poder
Atração irresistível que me faz sofrer.

O tempo vai passando,
As pessoas vão mudando,
Mas você continua lá
Guardado na memória,
Misturado com a chama do desejo
Que nunca se apagará
Nem no mais severo inverno
Nem no mais avassalador Tsunami...

Você é eterno.
Meu mais querido... Diamante.

Lucas de Figueiredo

Alguns detalhes nunca somem.

J.H.C


Cética

Inspirado em:



De manhã passo sono
De dia me irrito
De tarde ambos
De noite me agito

Na oeste é Palmeiras
Contra quem é Corinthians
No sul São Paulo
Santos é meu time

Outros, me contem
O que é que eu faço:
Nasci ontem

Trabalho amanhã
Ando à beira do fracasso.
O problema é: quando?

Rafael Cardoso

Um poema lindo, exceto pela afirmação tão convicta de que és um santista rsrsrsr

J.H.C

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Wish and Sadness


Cabelos de Fogo, pele vermelha
A face modela-se conforme seu nome,
As mãos são mais valorizadas,
A cabeça, não é.

Fios escuros da noite,
Face fria, alma solitária
Olhos pretos feitos da escuridão dos oceanos,
Pele branca como a neve.

Desejo e tristeza,
Tão inimigos e tão irmãos
Buscam o controle da mente,
E machucam a alma.

Um queima a face, o sexo e tudo mais
A outra esfria a barriga e arranha o peito
Ambos dilaceram-te, e te corroem,
Fazendo-o sentir o gosto amargo da dor,
Fluído fétido de seu corpo.

E mais tarde, quando tudo está terminado,
A culpa é do amor, que não apareceu.
O que esquenta se apaga,
E a que esfria se dissocia,
E ambos, ao retornarem ao caos sorriem,
Ao lembrar do objetivo que conquistaram.

Desejo e tristeza,
Tão inimigos e tão irmãos
Buscam o controle da mente,
E machucam a alma.

Cabelos de Fogo, Fios da Noite,
Tão inimigos e tão irmãos,
Juntos se misturam, se completam
E te destroem.

Lucas de Figueiredo

Triste!! Lindamente triste!!

J.H.C


Folhas Secas

Folhas secas caem no salão
Folhas velhas, enrugadas.
O salão, de festa, um dia já foi bonito, alegre...
Perfeito.

Folhas secas caem no salão
E cobrem os vestígios das pessoas
que foram felizes ali
Mas o tempo acabou,
Assim como a festa
Que em um belo dia de sol
Começou.

Folhas secas caem no salão
Folhas que presenciaram o passado
Que viram a felicidade passar,
O Amor brotar e as mulheres, que mulheres!
Bailarem no imenso salão,
Arrastando seus vestidos pelos ladrilhos
Agora cobertos por um tom marrom
O vinho e o pão acabaram
E as pessoas se foram, deixando o salão
Na escuridão.

Folhas secas caem no salão
Denunciando um passado que não existe mais
E a felicidade cessou, o amor se matou...
Mas a esperança, donzela dos olhos verdes
Olha as folhas e vê, esperançosa,
Que novas flores nascem abaixo de seus pés.
E que o salão, uma vez mais
Brilhará, na mais bela aurora.
E no meio do salão renascerão, uma vez mais
a Felicidade e o Amor,
Ao cair das últimas folhas secas
Que ainda caem no salão.


Lucas de Figueiredo

As folhas podem secar,
As árvores podem morrer,
Mas o meu amor por você
Está eternizado
no mais puro grão de pólen.

Para uma pessoa mais que especial!

J.H.C


Matar ou Morrer?

E a vida nasce neste espaço.
Um jogo que te empurra,
Pra lá e pra cá.
Num caminho predeterminado
Na vida subjugada
Num mundo de aparências,
Os sentimentos são as pedras
Que batem no vermelho lago
Criando ondas instransponíveis,
Forma-se um Tsunami.

Vidas são ceifadas
E tua mão, que tu mantinhas limpa,
está manchada de sangue.
Num mundo como esse
cheio de feras,
Você tem que ser fera.

Sua mão está manchada de sangue,
Isso é o que importa
Sua mão está manchada de sangue,
Você TEM de ser fera,
Você TEM que grunhir,
Você TEM que latir,
Você TEM que morder,
E ai eu lhe pergunto
Vai matar ou vai morrer?
Vai matar ou vai...?
Vai matar?
Vai...?

Lucas de Figueiredo

Acho que virou mania as pessoas postarem no meu blog! Só falta a fama agora rsrsrs

J.H.C



Atitude

Atitude é o ato de agir. Atitude é quando você decide mudar as coisas. Ela surge de uma insatisfação. A partir do momento que você decide mudar o que está acontecendo você gera uma atitude e a intensidade da mesma é definida pelo poder e pela vontade que você possui sobre o assunto no qual deseja modificar. A atitude é tomada de diferentes formas, pode ser planejada ou não e pode interferir ou não na vida de outras pessoas ou até em uma população inteira. Dependendo de seu poder e da sua vontade, você pode manipular uma série de eventos, mas nunca poderá controlar todas as coisas, pois isso exigiria uma magnitude, uma soberania que não existe, logo, é por esse motivo que não conseguimos controlar todas as transformações, sejam elas físicas ou não no tempo, na vida, no espaço. Temos limitações, o que também não significa que temos, necessariamente, um ser superior acima de nós. Sabemos que temos limites, nada mais.
Se as pessoas procuram tomar atitude, as mesmas não deveriam se basear nas outras, pois cada ser é diferente uma vez que as mesmas possuem opiniões, memórias, desejos e sentimentos distintos. Cada ser tem poder sobre si e sobre uma porção de coisas que estão ao seu redor e que são influenciadas justamente por suas atitudes. Elas determinam o mundo e sua continuidade. Não se sabe exatamente até quando o mundo que conhecemos vai permanecer do jeito que conhecemos, mas sabemos que seu tempo de permanência é determinado pelo conjunto de atitudes e interações entre os seres que nele vivem. O mundo está ai para ser desfrutado, assim como a vida é um jogo e seu “passaporte” de entrada e permanência nesse jogo é sua atitude, que, assim como todas as coisas na Terra, possui validade. A atitude é um produto de sua existência. Use-a o máximo possível, caso contrário, a validade passará assim como sua vida e você não terá desfrutado em nada no tempo que foi determinado ao acaso, assim como um lançar de dados. A vida é um risco e suas atitudes determinam sua “jogada”.

Lucas de Figueiredo

Filosófico...

J.H.C



Dimensão do Amor

Quando as cerejeiras começarem a florescer,
Encontre-me em meu quarto solitário
Teremos uma paixão cheia de fantasias
E desta vez você ficará comigo.

Toda a tristeza que vimos antes,
Fica por fora, quando você bate na minha porta.
E meu coração canta à cada toque,
Assim, você vai me querer duas vezes mais.

Um novo amor,
Uma nova aventura esperando por você
O verdadeiro amor
Um vôo magnífico, de vista deslumbrante.

Vamos andar juntos no mesmo caminho
Faremos os sonhos se tornarem reais,
Veremos maravilhas todos os dias
E a noite diremos às estrelas,
O quão feliz estamos.

Logo depois, quando a Primavera surgir,
Saberemos que nossos corações estão evoluindo,
Deixemos de vez a dor,
Eu vou ser honesto e gentil,
Serei melhor de um jeito que você nunca viu.

Nunca teremos de gritar ou lutar,
Podemos fazer tudo certo,
Chega de ficar perdido,
Não consigo te esquecer, embora já tenha tentado.

Esse é um destino bom, por que intervir?
Feche os olhos, me beije outra vez,
Serei sempre o único que você vai precisar
Então, siga o caminho de seu desejo.

Logo, na brisa de abril,
Vamos trazer à tona as memórias,
Trazer de volta todas as emoções,
E torná-las ainda mais belas.

Quando as cerejeiras começarem a florescer,
Encontre-me em meu quarto solitário
Teremos uma paixão cheia de fantasias
E desta vez você permanecerá comigo.

Lucas de Figueiredo

Por um acaso você está apaixonado?

J.H.C


domingo, 14 de novembro de 2010

A Bela Adormecida Na Varanda

Eu flutuo e balanço enquanto navego
À Terra do sonho cheia de luz,
Esqueço as coisas, e vejo a varanda.

O sonho é agradável e acolhedor,
O gato ao meu lado continua dormindo,
O Príncipe não beijou a princesa,
Mas ainda vai beijar.

Eu flutuo em meu sonho,
Cheio de luz, doce e suave.
Esqueço todas as preocupações,
E vou para a varanda.

O sonho é agradável e acolhedor,
O gato ao meu lado continua dormindo,
Eu não sou mais feliz porque a princesa
Está perdida no país da maravilhas.

Eu flutuo e balanço em meu sonho,
Um sonho alegre e feliz
Você pode ver, mas nunca perturbar,
Enquanto a princesa continuar na varanda.

Eu flutuo e balanço no meu ritmo,
A estrada cheia de ladrilhos,
Tudo que eu quero é continuar sonhando
Chegando na varanda da princesa.

Lucas de Figueiredo

Puramente verdade, essas vontades que vem... repentinamente

J.H.C


Sementes No Ar

Era para ser um dia qualquer,
O dia raiava, o vento soprava,
Pessoas andavam, crianças brincavam,
Cachorros latiam, folhas caiam
E os semáforos alternavam nas cores
Verde, amarelo e vermelho.

Os propósitos não existiam,
os sentimentos, sim.
E o jogo da vida tentava a todo custo
Reconciliar as razões.

Flores Pitangueiras,
Flores Jabuticabeiras
fertilizadas com seus próprios frutos.
Sementes espalhadas pelo ar
Sentimentos tão distintos a se combinar

Medo, Dó, Afeto, Carinho, Amizade
O Amor veio depois, sempre atrasado,
mas nunca se esquece de contemplar,
as sementes de pitangueiras e jabuticabeiras,
que ficaram voando pelo ar.

E mesmo que o tempo passar,
Mexendo e remexendo em tudo que encontrar,
Os sentimentos ainda estarão
sempre espalhados pelo chão.
E ainda assim não deixemos de contemplar,
As sementes, filhas de outras árvores,
Que permanecem espalhadas pelo ar.

Lucas de Figueiredo

As entrelinhas só serão entendidas por mim e mais ninguém. xD

Obrigada pela consideração!!

J.H.C


sábado, 13 de novembro de 2010

Vida e Mundo

Um mundo criado por alguém.
Alguém que não se sabe de fato quem
Alguém que não está em lugar nenhum
E está em todos os lugares

A vida virou predeterminada,
A vida que ficou subjugada
A vida que na verdade não existe,
Nesse mundo fútil, cruel e triste.

E assim as pessoas vão vivendo,
Grupos vão sendo excluídos,
E as pessoas, que estão subindo,
Não percebem que pessoas estão caindo
Para eles poderem vencer.

Um mundo predeterminado
Um mundo que foi subjugado
Um mundo que existe
Um mundo fútil, cruel e triste.

Lucas de Figueiredo

Às vezes me surpreendo com certas atitudes suas...

J.H.C




Lótus Negra

Na sombra do vale da morte
Nasceu uma flor de mistérios.
Seu cheiro de morte é mais forte
Que o leito de ventos funéreos.

A flor de tão negra é sombria
E esconde o poder de endeusar,
Esbanja o fervor da magia
Na aura de quem a encontrar.

O fel do desprezo não tira
Da flor que das sombras eu trago
Tamanha beleza que inspira
Cobiça nos olhos de um mago.

A Íris não deu a mensagem
Gerânio ficou mais alegre
A Hera traiu na viagem
A Prímula contraiu febre

O Cravo parou de sofrer
Centáurea matou seu amor
A Lírio pecou por querer
Jacinto aceitou sua Dor

Papoula tornou-se ruína
Tulipa declarou seu ódio
Lilás transformou-se em neblina
E foi a Violeta ao pódio!

Camélia sujou-se em defeito
Crisântemo ficou irado
Narciso nasceu imperfeito
Jasmim teve o ser rejeitado

Até Margarida pecou
Orquídea ficou horrorosa
Com Dor Girassol declinou
Peônia rasgou-se amorosa

E Rosa morreu de pavor
Depois que a negra flor nasceu.
O belo nascer de uma flor
A Lótus Negra envelheceu.

E quando tudo está perdido,
Se o chão tem as cinzas da guerra,
Eu vejo um mundo sucumbido
E a Lótus viva e firme em terra.

Se a morte vier me buscar
Por causa do meu coração,
Meu anjo, você vai jogar
A Lótus sobre o meu caixão.

A Lótus Negra é minha amante
O símbolo do meu prazer
O negro olhar em seu semblante
O beijo que me faz arder!

A Lótus é mais que uma flor,
É toda a beleza do horror
O fel corrosivo da Dor
O negro presente do amor.

O mundo verá a nossa verdadeira força no mais severo inverno, no desabrochar da flor de Lótus.

J.H.C



O Tempo, a Vida e a Felicidade


Primeiramente vem o tempo, palavra que resume todo o período que se considera real. Cada minuto, cada segundo que passa está presente no tempo e, consequentemente, em um determinado espaço. É a partir do tempo que esbarramos no conceito de vida.
Vida, palavra que resume o estado em que as coisas estão presentes, é envolvida por uma série de questionamentos como, por exemplo, sua origem. Muitos acreditam que foi criada por um ser superior ou energia, outros acreditam que é puramente uma questão proporcionada pelo ambiente, enfim, existem diversas respostas para essa pergunta que, de alguma forma, nunca encontra em uma delas a resposta “verdadeira”. Simplesmente existimos e temos que nos basear nisso para tentar decifrar esse mistério. Mas o mais importante não é sabermos como o conceito “Vida” passou a existir, mas sim o que, de fato, a vida é.
A vida é um conjunto de escolhas que são tomadas por cada indivíduo que existe, desde uma simples bactéria ao mais desenvolvido humano. E é nesse conjunto de escolhas, associado com o tempo, que temos nossas diferenças tanto físicas como psicológicas. Todos os seres seriam iguais se surgissem em um só momento, se compartilhassem sempre o mesmo espaço físico e ainda sofressem as mesmas reações proporcionadas entre eles mesmos e o ambiente, o que é impossível. E é dessas diferenças que surge o conceito da felicidade. Muitos procuram a felicidade plena, outros acreditam que ela vem em instantes, mas isso não importa muito, desde que sempre procuremos ser felizes de alguma forma, nunca desvalorizando esse objetivo, pois, qual motivação além da felicidade poderia ser capaz de suportar a escassez de respostas que temos aqui na Terra?
Nossa vida tem início, meio e talvez, fim. O tempo também segue esse padrão, mas também é um conceito complexo que não pode ser medido facilmente, pois a ordem cronológica é diferente para cada finalidade. Na geologia, tempo é igual a milhões de anos, na vida de um animal, não passa de um século, dois no máximo e na física se trata em relação entre horas, minutos e segundos. O tempo, assim como o conceito “vida” e “felicidade”, é abstrato, mas que servem para explicar e/ou complementar algo real, como a nossa existência. Se a vida é um conjunto de escolhas, cabe a nós escolhermos até que não seja mais possível. A felicidade deve ser tratada como consequência e a sua ausência não precisa, necessariamente, ser sinal de uma escolha errada, mas simplesmente uma escolha na qual não se encontrou a felicidade que se esperava encontrar, tentando compensar isso na próxima escolha.
Enquanto isso a Terra gira, o tempo muda, a vida evolui e a felicidade se manifesta, tudo isso numa ordem na qual não podemos controlar. Tivemos a dádiva de receber ou até desenvolver a habilidade de podermos modificar algumas coisas, como o espaço, mas não somos capazes de, com essas ferramentas, controlar todo o universo e, consequentemente, todas as coisas, abstratas ou não, que existem dentro dele. Cabe apenas a nós, procurar respostas, escolher, viver, sermos felizes e nos sentirmos satisfeitos com isso, sem deixar de valorizarmos tudo que temos. Algumas pessoas se sentem melhor agradecendo ao “criador” de tudo isso, mas isso é opcional, já que não temos certeza se este “criador” de fato existe.
A vida está ai para ser vivida e conceitos como o tempo e a felicidade são sentidos por nós, seres que vem de longe, vão para longe e que nunca poderão encontrar todas as respostas que gostaríamos. Somos incompletos, cheios de defeitos e cabe a nós a aceitá-los. Corrigi-los também é opcional.

Lucas de Figueiredo

Meu querido,

sempre foi uma honra imensa compartilhar pensamentos e idéias com você. Estou feliz que tenha me deixado postar tais brilhantes conceitos.

Um beijo.

J.H.C

Eu, Drummond e meus amigos


Não, dessa vez não farei um poema. Expressar o que sinto é difícil, preciso dizê-lo abertamente. Poesia que façam os gênios. Falar de amizade exige clareza de um jovem escritor inexperiente.
Quero agradecer a você, leitor desse blog, que vem aturando meus textos no espaço da minha amiga Jéssica. Se você por acaso gostou deles calma, não é uma despedida. Mas é inegável que chego ao final de um ciclo – o Ensino Médio. Por isso pretendo fazer algumas considerações desses últimos meses que passaram.
As experiências vividas por mim nesse ano foram incríveis. Quis o destino que eu encontrasse pessoas maravilhosas no meu caminho: compreensivas, surpreendentes... Espantei-me ao ver o quanto cresci com elas, de modo que sofri por antecipação ao pensar num futuro sem as mesmas. Tolice minha.
Nossa amizade há tempos superou a esfera escolar porque existe algo – não sei descrever – que nos une. “Furou o tédio e o nojo”, me diria Drummond. Pensando bem, é como uma flor, mas não a feia citada em seu poema. Possui luz própria e raízes fortes dispostas a vencerem o tempo e o destino, em prol de uma amizade que cresce, prospera e já deu frutos.
Aprendi a não ter vergonha dos meus erros. Ao invés de lamentá-los, preferia como eu repará-los se possível e seguir em frente, caro leitor. Aprenda que o ser humano é belo por ser ele mesmo. Melhorar como pessoa é importante, mas não se “mate”, nem seja seu próprio carrasco. Descobri com os amigos que meus ombros não suportam o mundo*, porém existem pessoas me ajudando na tarefa.
Vou citar nomes. Pelos momentos maravilhosos, o meu eterno agradecimento ao Lucas, ao Igor, ao Renato, à Nathalia e à Jéssica. Sem o inestimável apoio deles (sobretudo da dona deste blog) eu não teria escrito uma só linha dos textos que me encheram de alegria e satisfação.
E agora, José?* O futuro deixará esta amizade no meio do caminho*? Não. Pode ser que eu tenha sete faces*, mas todas elas vencerão o medo e andarão de mãos dadas*, pois a noite não dissolverá os homens* e as mulheres desse grupo unido pela mais tenra flor da amizade.

*Frases extraídas ou inspiradas em títulos de poemas de Carlos Drummond de Andrade, um gênio que poderia fazer desse texto poesia sem prejudicar seu sentido.

Rafael Cardoso
11 de novembro de 2010

Não tenho palavras para descrever o quanto fiquei lisonjeada com tais comentários, meu querido amigo.

No momento em que me mostrou, hoje pela manhã, na sala de aula, fiquei tão emocionada, que não tive palavras para expressar o quanto fiquei feliz, o quanto meus olhos sentiram vontade de lacrimejar e o quanto minha garganta ficou entalada, mas não de dor ou angustia, mas de um contentamento inexplicável.

Não é todo dia que somos elogiados da forma como você o fez, e de fato, não sei como agradecer ou recompensar.

Mas fico feliz que você saiba o quanto é especial e importante pra mim, e que sempre estará no meu coração, aconteça o que acontecer.

Milhões de beijos meu fofo,

eu te Adoro, hoje e Sempre.

J.H.C